ASSOCIAÇÃO CAMPINAS PARKINSON FAZ RODA DE CONVERSA SOBRE DBS

A Associação Campinas Parkinson (ACP) realiza Roda de Conversa com depoimentos de parkinsonianos que realizaram a cirurgia DBS. Evento ocorre no próximo sábado (16/03), às 14 horas, na sede da ACP, que fica nas dependências do Lar dos Velhinhos de Campinas. A estimulação cerebral profunda – DBS (da sigla em inglês – Deep Brain Stimulation), utiliza um pequeno dispositivo, implantado cirurgicamente, chamado ‘estimulador’, que envia sinais elétricos através de eletrodos colocados em uma região específica do cérebro. Essa estimulação pode melhorar a função motora, reduzindo sintomas, como tremores, lentidão e rigidez.

A presidente da ACP, Rita Queiroz, afirmou que as Rodas de Conversas realizadas mensalmente  pela emtidade são importantes  para  associados, seus familiares e cuidadores. “Procuramos abordar temas de interesse para os portadores da doença de Parkinson, como nesse próximo encontro, onde os resultados  e benefícios da cirurgia DBS serão relatados pelos próprios pacientes e seus familiares”, acrescentou. O  encontro acontece das 14 às 17 horas.

A Associação Campinas Parkinson foi fundada em 15 de setembro de 2007 e é uma entidade sem fins lucrativos e declarada de utilidade pública municipal. Sua missão é ajudar e compreender a enfermidade, o tratamento e os recursos existentes para a melhoria da qualidade de vida da pessoa com Parkinson e de seus familiares. Seu objeto é acolher, apoiar, informar e incluir, por meio de eventos, palestras, festas, passeios e orientações dos direitos do portador da doença.

Os principais sintomas da doença de Parkinson são tremor de repouso, rigidez muscular, lentidão dos movimentos e alteração no equilíbrio. Como a doença é progressiva e degenerativa, o paciente deve procurar suporte médico para realizar o diagnóstico precoce e o tratamento adequado. A doença costuma aparecer depois dos 60 anos, mas 10% dos pacientes têm menos de 50 anos e 5% têm menos de 40. Ela ocorre pela perda de neurônios do Sistema Nervoso Central (SNC), em uma região conhecida como substância negra. Os neurônios dessa região sintetizam o neurotransmissor dopamina, cuja diminuição nessa área provoca sintomas clínicos, principalmente motores, característicos da doença de Parkinson.

A dopamina produzida pelos neurônios pertence a uma classe de substância denominada neurotransmissores, cuja função básica é levar adiante a informação recebida na forma de sinais elétricos, de um neurônio para outro formando sinapses. A dopamina atua especificamente em centros cerebrais ligados às sensações de prazer e dor, tendo papel comprovado nos mecanismos que geram dependência e vícios e também no controle motor. Nos casos de Parkinson, o movimento se mostra claramente afetado devido à falta da dopamina. A causa da doença é ainda desconhecida. Sabe-se que fatores genéticos, ambientais e envelhecimento podem ser alguns de seus causadores.

 

Foto: Encontro ACP.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

PARKINSON – O QUE É PRECISO SABER

ARTIGO DA MÉDICA LAURA MORIYAMA  A doença de Parkinson foi descrita em 1817 por James …

Facebook
Twitter
LinkedIn