ENTENDA O QUE É CURVA PF E COMO CONTRIBUI PARA A MANUTENÇÃO INDUSTRIAL

ARTIGO DE JOÃO MARCIO TOSMANN 

Para quem trabalha com manutenção industrial, sem dúvidas, a curva PF é um dos principais indicadores para realizar a gestão completa do trabalho, já que se trata da condição de um equipamento que será utilizado.

Curva PF (potential failure curve) significa curva de potencial de falha, ou seja, é um gráfico que mostra o período entre a falha potencial e funcional, para que os trabalhadores desenvolvam um plano de ação para contê-la.

O principal objetivo é realmente saber o tempo até que ocorra a falha funcional, para que nenhum processo ou equipamento seja afetado.

O que é falha potencial e funcional?

Chamamos de falha potencial aquela que está no estágio inicial, que não compromete o funcionamento das máquinas, mas que, tem potencial para se agravar e afetar drasticamente a performance do equipamento. Se ela não for ajustada, pode se transformar numa falha funcional.

A falha funcional, por sua vez, é aquela que atinge a máquina fazendo com que suas funções sejam afetadas.

Afinal, como funciona a curva PF?

Com a curva PF conseguimos prever qual é a probabilidade da máquina falhar e qual é a manutenção que deve ser aplicada para não afetar todo o processo. Para exemplificar, imagine que uma máquina apresenta alta performance e, quando chega em 200 horas de funcionamento, o desempenho é afetado, até que o equipamento pare totalmente.

Sabemos que a manutenção deve ser realizada antes da máquina atingir as 200 horas, mas qual é o momento ideal para não perder a confiabilidade?

O ideal é que a inspeção seja feita 30% antes do tempo em que ela perde seu desempenho, ou seja, quanto atinge 70% do tempo total de produção. Então, fazemos a seguinte conta: 200 (horário total de funcionamento) X 0,7 = 140 horas. Isso significa que a manutenção deve ser realizada a cada 140 horas de funcionamento do equipamento para que não ocorra nenhuma falha potencial.

Ponto P (potencial): é o momento em que a falha surge, ainda no estágio inicial

Ponto F (funcional): momento em que a máquina deixa de exercer sua atividade de forma satisfatória.

A importância da manutenção preditiva

Outra maneira de evitar essas falhas é através da manutenção preditiva. As indústrias utilizam softwares, sensores e inteligência artificial para coletar dados 24h por dia das máquinas e, assim, ter uma visão completa dos processos industriais.

Existem cinco técnicas principais que são utilizadas para medir se as máquinas estão em perfeitas condições ou apresentam alguma característica incomum que evidencie a necessidade de uma manutenção preditiva. São elas: análise de vibração, ultrassom, análise de óleo, termografia e análise de trincas.

Essas mudanças nas máquinas são formas de identificar e prever possíveis falhas e, por isso, sempre está associada à curva PF.

Dessa forma, podemos concluir que a curva PF é extremamente importante para o desempenho das indústrias, bem como para o trabalho dos técnicos de manutenção que devem ter todas as informações necessárias para analisar a confiabilidade das máquinas e as possíveis falhas do equipamento.

Falhas identificadas entre os pontos P e F da curva, podem ser corrigidas para não acontecer uma falha funcional e, consequentemente, prejudicar todo o processo industrial.

 

João Marcio Tosmann é formado em Engenharia Elétrica, com ênfase em Eletrônica, pela PUC-RS, com pós-graduação em Administração Industrial pela USP e MBA em Marketing pela ESPM. Atualmente é diretor da Tagout, indústria de produtos de Bloqueio e Etiquetagem que oferece consultoria, treinamento e elaboração de procedimentos para implantação do Programa de Controle de Energias Perigosas (PCEP).

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

MARPA GESTÃO TRIBUTÁRIA ANUNCIA A CONTRATAÇÃO DA UNIMARK

  A Marpa Gestão Tributária, empresa especializada em consultoria tributária, reconhecida por sua excelência e …

Facebook
Twitter
LinkedIn