ESPECIALISTA ORIENTA COM DICAS SOBRE COMO ABRIR UM NEGÓCIO DE AUTOATENDIMENTO

O empreendedorismo tem sido uma alternativa cada vez mais buscada por pessoas que desejam tomar as rédeas de suas carreiras e conquistar a  independência financeira. Entre as opções de negócios que têm ganhado destaque nos últimos anos, o modelo de autoatendimento desponta como uma alternativa promissora a partir do avanço tecnológico e da possibilidade de ter um negócio sem a contratação de funcionários. 

Segundo dados levantados pela AMLabs, empresa de vending machine responsável pelo sistema de autoatendimento presente em minimercados, em 2022, o setor de autoatendimento movimentou quase R$ 1,8 bi em transações. A expectativa para este ano é dobrar o valor. Já de acordo com a pesquisa ‘Self-Checkout System Market Report’, efetuada pela Global Market Insight, o segmento deve registrar um crescimento de 11% ao ano até 2027, quando alcançará o valor de US$ 6,5 bilhões.

CEO da AMLabs, Leandro Fidelis apresenta orientações para quem deseja abrir o próprio negócio de autoatendimento. “Se você quer abrir um negócio, não parta da lógica de que será o próprio patrão, ou que está cansado de trabalhar e vai abrir uma empresa. No empreendedorismo, o trabalho é dobrado até o negócio dar certo. Não se iluda, não existe negócio simples, nem mesmo em modelo de autoatendimento. Você terá diversos desafios”, diz.

O primeiro é identificar uma necessidade de mercado. Antes de iniciar qualquer empreendimento, é fundamental entender uma demanda de mercado não atendida ou oportunidades de melhoria em um setor específico. “Pesquise os desejos dos consumidores e identifique lacunas que possam ser preenchidas pelo seu negócio de autoatendimento. Pode ser desde uma loja de conveniência 24 horas até um espaço de coworking automatizado”, comenta.

Uma vez identificada a necessidade de mercado, defina o segmento em que deseja atuar e escolha o modelo de negócio adequado. Pode ser uma vending machine com produtos personalizados, uma lavanderia self-service, um restaurante de autosserviço ou até mesmo uma academia com acesso controlado por biometria. Analise a viabilidade financeira, o público-alvo e as tendências do setor antes de tomar uma decisão.

É muito importante pensar na experiência do usuário. Como ele entra na loja, como enxerga os produtos que quer? Como é avisado que a loja existe? É  fundamental fazer uma ação de inauguração da loja para passar o recado de que o negócio existe. Eventualmente, também é importante manter, nas primeiras semanas ou meses, alguma ação recorrente para  que o público comece a ter acesso à sua marca e lembrar-se de sua empresa. Também é preciso se atentar aos produtos. Os itens que estão disponíveis são adequados para o ambiente e para o usuário? “Mesmo com a ausência de um atendimento humano direto, é fundamental garantir uma experiência de qualidade aos clientes. Invista em uma identidade visual atrativa, facilidade de uso dos equipamentos, oferta de produtos ou serviços de qualidade e um ambiente acolhedor e bem projetado”, orienta.

Leandro Fidelis destaca a importância de criar um canal de comunicação com o consumidor o mais rápido possível e isso é essencial. O acesso às informações e atendimentos para tirar dúvidas, resolver problemas e fazer sugestões deve ser facilitado e eficiente. “Se eventualmente suas vendas estiverem baixas e você não entender os motivos, o canal de comunicação pode ter a resposta. Muitas vezes há reclamações e sugestões de melhorias como produtos com preço elevado, não encontrar os itens desejados, falta de higiene no ambiente, produtos fora do prazo de validade ou estragados. Todas essas questões devem ser bem analisadas, além de realizar a conferência diária para manter a qualidade do serviço”, aponta.

O canal de comunicação pode ser criado através de um aplicativo, WhatsApp ou até um formulário enviado por e-mail, mas, é preciso trabalhar os feedbacks para ter uma  comunicação mais clara.

O sucesso de um negócio de autoatendimento está diretamente relacionado à utilização de tecnologias avançadas. “Invista em sistemas de automação, como maquinários modernos, softwares de gestão e mecanismos de pagamento eletrônico. A tecnologia garante a eficiência operacional, o controle de estoque, a segurança e a experiência do cliente”, diz.

Escolher uma solução desenvolvida propriamente para o mercado autônomo traz benefícios, já que  é pensada para negócios que funcionam sem a ajuda de colaboradores.

Por ser uma loja autônoma, é preciso escolher bem o ponto de venda, optando por locais  de maior segurança e investindo em tecnologias que irão ajudar a diminuir o índice de furtos de produtos. A utilização de senhas, reconhecimento facial e câmeras são indicadas para proteger os negócios e ter um baixo índice de furtos. “Isso irá ajudar no faturamento final de sua empresa e, consequentemente, no sucesso de seu empreendimento”, fortalece.

Para Leandro Fidelis, investir em um negócio de autoatendimento pode ser interessante por diversos motivos. A redução de custos com mão de obra e a possibilidade de atender uma demanda 24 horas por dia são atrativos para muitos empreendedores. Também é possível escalar o negócio com mais facilidade, expandindo para múltiplas localidades ou adicionando novos equipamentos de autoatendimento.

Além disso, a tendência de automação e digitalização dos serviços tem conquistado cada vez mais espaço no mercado. “Os consumidores estão mais habituados a utilizar máquinas de autoatendimento em diversos setores, desde pagamentos em supermercados até check-ins em hotéis. Portanto, investir em um negócio de autoatendimento significa estar alinhado com as expectativas e preferências do público moderno”, afirma.

No entanto, Fidelis ressalta a importância de que o sucesso desse tipo de empreendimento depende de uma boa gestão, um planejamento sólido e uma execução eficiente. “É necessário garantir a manutenção dos equipamentos, a reposição adequada de estoque e uma constante avaliação das necessidades dos clientes. Abrir o próprio negócio de autoatendimento pode ser uma oportunidade empolgante para empreendedores que buscam inovação e eficiência. Mas, lembre-se de realizar uma pesquisa de mercado detalhada, desenvolver um plano de negócios abrangente e contar com o suporte de profissionais especializados para garantir o sucesso do seu empreendimento de autoatendimento”, finaliza.

Fundada em 2011, a AMLabs é especializada em softwares de gestão e pagamentos para operadores de Vending Machine, Micro Market e OCS no Brasil. Com mais de mil clientes em todo o país, a empresa é focada no mercado de Honest Market, um nicho de negócios que passou a ganhar cada vez mais espaço nos últimos dois anos. A AMLabs trabalha com sistemas de pagamentos simples e interativos para Micro Markets e Vending Machines e que transformam escritórios de empresas em uma mini loja de conveniência com ampla seleção de lanches e bebidas. Também conta com um sistema de gestão de ponta a ponta para todas as cadeias de negócios, facilitando a reposição de produtos, o acompanhamento em tempo real e diminuindo as taxas de furtos em Honest Market.

 

Foto: CEO da AMLabs, Leandro Fidelis.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

SOFTWARE DE GESTÃO GANHA NOVOS RECURSOS

O Fracttal One software de manutenção reconhecido como líder nos rankings mais prestigiados do mundo …

Facebook
Twitter
LinkedIn