HOTÉIS DA REGIÃO METROPOLITANA DE CAMPINAS FECHAM JUNHO COM 56,44% DE TAXA DE OCUPAÇÃO

A hotelaria da Região Metropolitana de Campinas (RMC) fechou junho com taxa de ocupação de 56,44%, puxada pelo desempenho acima da média da categoria econômica. Outros índices do setor, como Diária Média (R$ 321,33) e RevPar (R$ 177,30) tiveram ligeira retratação na comparação com maio, mas dentro da zona de estabilidade. Os dados são do acompanhamento mensal realizado pelo Campinas e Região Convention & Visitors Buereau (CRC&VB). A expectativa do setor para o segundo semestre é positiva com dois grandes eventos que acontecem na região nos meses de agosto e setembro e final de ano.

Segundo a pesquisa do CRC&VB, em junho o destaque ficou por conta da categoria econômica, com taxa de ocupação de 62,21% (acima da taxa média). No acumulado do ano essa faixa está com ocupação média de anual de 61,89%. Na categoria MidsCale, a taxa de ocupação no mês passado foi de 50,67% (52,08% na média anual)

Douglas Marcondes, diretor de Hotelaria do CRC&VB comenta que os números indicam que o setor hoteleiro regional vive desde janeiro um período de estabilidade, com destaque maior para a categoria econômica e uma flutuação maior para a MidsCale, mas nada que aponte para uma preocupação. “Os dados mostram a força do setor, com a bussola apontada para um crescimento no segundo semestre, com a realização de dois grandes eventos – Expoflora, em Festa do Peão de Jaguariúna, que movimentam um raio de 60 quilômetros – e muito boa perspectiva para as festas de final de ano”, explica.

Ele destaca que as projeções para a economia brasileira e local são positivas, reforçadas com a aprovação, na Câmara dos Deputados, da Reforma Tributária, que podem trazer um crescimento maior para a economia, beneficiando a hotelaria regional, tanto na parte de eventos corporativos e de negócios. “Vale destacar o empenho do CRC&VB na divulgação do setor pelo Brasil, com presença em eventos e feiras, para apresentar o potencial hoteleiro e turístico de toda a RMC, além da integração com os meios de hospedagem, sintonia com o poder público municipal, integração com os players da área de eventos (musical / cinema), harmonia e entendimento com a área de restaurantes e bares”, explica. “Esse conjunto de fatores contribuirão, de forma significativa, para o crescimento e diminuição dos indicadores de ociosidade, principalmente nos finais de semana e feriados”, complementa.

 

Foto: Douglas Marcondes, diretor de Hotelaria do CRC&VB.

Crédito: Divulgação.

 

 

 

 

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

EMPRESAS COM COMUNICAÇÃO ESTRUTURADA RENDEM MAIS COM AMBIENTE PRODUTIVO E DE COLABORAÇÃO

A ideia de que “toda falha é de comunicação” tem sido bastante difundida no mundo …

Facebook
Twitter
LinkedIn