EVENTO INÉDITO DISCUTE INOVAÇÃO EM CAMPINAS

Campinas está recebendo nesta terça feira (07/03), o WEMExperience 2017 (WMXP 2017), um evsede da WEME DSC_0056ento inédito que está discutindo a inovação e empreendedorismo por meio de painéis de debates, oficinas e experiências tecnológicas. Promovida pela WEME, a ação está marcando o início da atuação da empresa como aceleradora de startups, empresas, projetos e pessoas, além de apresentar a sua nova sede, em um espaço amplo e inspirador. A expectativa é de reunir cerca de 300 pessoas, no período que começou às 9h e segue até às 18h, na sede da WEME, que fica na Avenida Dr. Jesuino Marcondes Machado, 630, no bairro Nova Campinas.

A WEME está no mercado há seis anos e começou como uma consultoria com projeto de design na concepção de projetar modelo de negócios, processo e marca. A empresa trabalhava com consultoria de design, inovação e branding. A história da WEME foi feita com projetos dentro de grandes empresas. Segundo o diretor da WEME, Maurício Bueno, a equipe percebeu que para trabalhar num ecossistema de inovação e empreendedorismo era preciso mudar o posicionamento uma vez que essa área atuação não iria gerar inovação com grande potencial de transformação. O ecossistema dentro de uma cultura empreendedora e de inovação é um ambiente onde convivem as universidades, os parques tecnológicos, as grandes empresas, médias e pequenas, os empreendedores individuais e tudo isso interagindo em prol do empreendedorismo de inovação. “A gente tem uma aceleradora de startups que estamos começando a fazer agora com a primeira rodada de aceleração a partir deste mês de março com cinco startups. A gente pretende ao longo desse ano acelerar 15 startups” diz.

Além da aceleradora de startups, a WEME também conta com aceleração de projetos. “Através da aceleração de projetos se leva o jeito de pensar de uma startup, ferramenta, metodologia para dentro de grandes empresas em projetos de inovação. Nós trabalhamos dentro da Bosch para pensar num novo modelo de negócio para uma determinada área e na 3M para desenvolvimento de um novo serviço. A gente também atua no projeto de aceleração de pessoas. A gente acredita que isso é um grande valor para o ecossistema porque a gente está trabalhando com competências para que elas tenham relevâncias no contexto em inovação e em empreendedorismo”, completa.

Campinas, segundsede da WEME DSC_0053o um levantamento feito pela Endeavor, é a terceira cidade mais empreendedora do Brasil e reconhecida como um dos maiores centros tecnológicos do mundo. Para chegar a esse índice a Endeavor levou em conta cinco tópicos como densidade, que leva em conta o volume de instituições, organizações e pessoas; tecnologia; possibilidade de capital; ambiente regulatório e cultura empreendedora. “Campinas não vai tão bem quando a gente pensa em ambiente regula
tório, disponibilidade de investimento e cultura empreendedora. Apesar da gente ter um potencial muito grande em densidade e tecnologia a gente tem que trabalhar muito em projetos que a gente acredita. Quando você compara com o Vale do Silício o que se fala em termos de maturidade de ecossistema é que quanto mais fortes as relações que são construídas, mais forte é o ecossistema. O evento é um espaço para a gente trazer esses diferentes atores para uma interlocução”, avalia Bueno.

O WMXP 2017 vai reunir, em um mesmo espaço, profissionais, estudantes e empreendedores com o objetivo de trocar experiências por meio de painéis com os temas “Empresas como agentes de inovação”, “Desafios do empreendedorismo” e “Aceleradora, incubadora e investimento”. Estão confirmadas as participações de grandes profissionais do mercado, como Besaliel Botelho – CEO da Bosch América Latina, Javier Bilbao – CEO da DHL América Latina e Diego Barreto – CFO do Ingresso Rápido, além de empreendedores e executivos de outras empresas.

O evento vai oferecer, também, oficinas de Design Thinking e a oficina Maker. Na primeira, o participante terá a oportunidade de vivenciar, na prática, uma metodologia que revoluciona a forma de resolver problemas, onde o ser humano é o centro de toda solução. O método, que é já é utilizado pelo Google, Apple e Samsung, incentiva pessoas a adotarem abordagens diferentes e a explorarem novas alternativas que impactem positivamente a vida de outras pessoas. Já na oficina Maker, os participantes poderão desenvolver seus próprios protótipos tecnológicos.

Fotos 1 e 2 – Sede da WEME em Campinas.

Crédito: Divulgação

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

PILZ DO BRASIL LANÇA O PORTAL NR-12 – SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

Referência em sistemas de automação e em soluções de segurança para máquinas, a multinacional alemã, …

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
LinkedIn