EXPECTATIVA PARA SEGUNDO SEMESTRE FOCA NO ARCABOUÇO FISCAL E NA REFORMA TRIBUTÁRIA

O primeiro vice-diretor do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) regional Campinas, Valmir Caldana, afirmou que a expectativa para o desempenho da economia no segundo semestre do ano, está diretamente ligada a aprovação do arcabouço fiscal e a realização da reforma tributária.

A avaliação da entidade leva em conta as respostas sobre as expectativas da indústria regional registradas na Sondagem Industrial de junho junto às suas empresas associadas . Para 14% das respondentes, o desempenho da economia vai ‘melhorar’ no segundo semestre; para 36% delas vai   ‘piorar’; também para 36% deve ‘permanecer como está’ e 14% ‘não tem avaliação’.

Caldana destacou ainda que 71% das empresas associadas afirmaram que a ‘insegurança jurídica aumentou’, o que faz com que cresça “o conservadorismo delas na tomada de empréstimos ou para novos investimentos e que não sejam penalizadas com altas taxas de juros”.

O segundo vice-diretor do Ciesp-Campinas, Stefan Rohr, analisou os índices de desempenho da indústria regional – volume de produção, número de funcionários e níveis de inadimplência e endividamento, apresentando indicadores que sinalizam positivamente. “Avaliamos que estamos num patamar de estabilidade, com leve viés de alta”, disse.

A Sondagem de junho diminuiu 22% no volume de produção, em relação ao mês anterior. Em maio, essa diminuição foi de 33%. O número de funcionários em junho permaneceu estável para 79% das associadas e no mês anterior esse índice ficou em 72%. “Já o faturamento não foi tão positivo, diminuindo para 50% das empresas respondentes nesse mês. Em maio esse índice diminuiu para 39% das associadas”, acrescentou Rohr.

A lucratividade na indústria regional foi inferior para 35% das respondentes, em relação  ao mês anterior, estável para 43% e superior para 22% delas.

Em relação aos investimentos, 50% afirmaram que não irão investir, 36% irão atualizar o maquinário já existente e 14% irão ampliar o número de máquinas. Esses números, no cômputo geral, foram avaliados pela diretoria do Ciesp-Campinas, como sendo ligeiramente melhores que os apontados na pesquisa de maio, respectivamente, 61%, 22% e 17%.

O nível de utilização da capacidade instalada de produção da indústria da região de Campinas, em junho ficou entre zero% e 50% para 7% das empresas; entre 50,1% e 70% para 43% delas; entre 70,1% e 80% para 36% e entre 80,1% e 100% para 14%.

A maior utilização da capacidade instalada é fundamental para a aceleração e continuidade da recuperação da economia brasileira, a medida que estimula novas contratações e investimentos.

Balança Comercial Regional

O diretor do Departamento de Comércio Exterior do Ciesp-Campinas, Anselmo Riso, afirmou que a entidade tem feito gestões com o apoio dos municípios que fazem parte da regional, para as empresas aumentarem as suas exportações.

Em relação aos dados de maio, o diretor explicou que ocorreu um salto nas exportações, reduzindo o déficit da balança regional, que historicamente é negativo em razão do perfil das empresas exportadoras ligadas à tecnologia e não a commodities.

Em relação aos números da Balança Comercial Regional, em maio de 2023, Anselmo Riso afirmou que o valor exportado foi de US$ 352,8 milhões – 14,5% maior que em maio de 2022. Já as importações no mesmo mês foram de US$ 869,7 milhões – 28,7% menor do que em maio do ano passado. O saldo em maio de 2023 foi negativo em US$ 516,9 milhões – 43,3% menor do registrado em maio de 2022.

A corrente de comércio exterior regional (soma das exportações e importações) em maio de 2023 foi de US$ 1,222 bilhão – 20% menor que em maio do ano passado.

Em maio de 2023 os principais municípios exportadores da Regional Campinas do Ciesp foram, pela ordem: Campinas (33,2%), Paulínia (25%), Sumaré (9,8%), Mogi Guaçu (9%) e Valinhos (5,6%).

Já os municípios que mais importaram foram: Paulínia (37,7%), Campinas (30,7%), Jaguariúna (8,9%), Hortolândia (7,4%) e Sumaré (5,4%). O percentual do município refere-se a sua participação em relação ao total da Regional no Balanço Mensal.

Riso destacou os principais destinos das exportações da indústria regional em maio/2023:  Estados Unidos (US$ 71,18 milhões – 20,2%), Argentina (US$ 47,71 milhões – 13,5%) e México (US$ 26,09 milhões – 7,4%).  Principais países de origem das importações para a região: China (US$ 229,22 milhões – 26,4%), Estados Unidos (US$ 106,80 milhões – 12,3%) e Alemanha (US$ 74,91 milhões – 8,6%).

 

Foto 1 – Primeiro vice-diretor do Ciesp-Campinas, Valmir Caldana.

Foto 2 – Segundo vice-diretor do Ciesp-Campinas, Stefan Rohr.

Foto 3 – Diretor do Departamento de Comércio Exterior do Ciesp-Campinas, Anselmo Riso.

Crédito: Divulgação.

 

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

PODCAST PANORAMA DE NEGÓCIOS TEM COMO TEMA MOBILIDADE URBANA INTELIGENTE DE FORMA SUSTENTÁVEL

Neste episódio do podcast Panorama de Negócios vamos falar sobre mobilidade urbana inteligente de forma …

Facebook
Twitter
LinkedIn