FRANQUIA ATRAI EMPRESÁRIOS CONTÁBEIS EM SALVADOR

Reconhecido por ser um modelo de negócio indicado a quem deseja começar a empreender, o franchising tem atraído também empresários que já tem um negócio estabilizado, mas desejam fortalecer a sua marca ao agregar serviços e estratégias de marketing bem-sucedidas em várias regiões do País.ernandes-evangelista

É o caso do contador baiano Ernandes Evangelista, que optou por converter o seu escritório em franquia contábil. A decisão, segundo ele, partiu da necessidade de se adequar à mudança do perfil da contabilidade, que após a evolução do fisco eletrônico passou a exigir uma atuação mais consultiva dos profissionais da área. “Não basta mais tão somente executar as obrigações acessórias, mas participar ativamente das tomadas de decisões nas empresas. E a franquia ajuda neste sentido, pois já tem um modelo de atuação pré-definido que é constantemente aprimorado pelos franqueados”, afirma Evangelista.

Além disso, fazer parte de uma rede presente nas quatro regiões do País, na sua avaliação, fortalece a prospecção de clientes em diversos nichos. Após receber treinamentos específicos para identificar oportunidades na sua região, o empresário contábil deverá focar no segmento de cosméticos.“Como já temos a especialização na área tributária, podemos fazer a diferença nas empresas deste ramo, ao prestar a consultoria pela tributação de cada produto”, explica o empresário, cuja unidade da franquia NTW Contabilidade e Gestão Empresarial está localizada no bairro de Itaigara, na capital baiana.

O também contador baiano Alex Moreira foi outro que aderiu ao franchising, após ter comandado dois negócios em outras áreas de atuação. Sua unidade da franquia NTW está instalada no bairro de Cajazeiras, onde tem feito um trabalho especialmente voltado ao setor de construção civil e outros nichos estratégicos. “Boa parte da perda de faturamento das lojas de construção ocorre por problemas de estoque. Nos especializamos nessa área e temos auxiliado as empresas da região a diminuírem significativamente essas perdas”, afirma.

No primeiro semestre deste ano, o setor de franchising obteve crescimento de 7,9% de faturamento e de 9,6% em número de unidades. Para a presidente da Associação Brasileira de Franchising (ABF), Cristina Franco,  este desempenho positivo que vem se repetindo mesmo num período de crise é fruto do trabalho em rede executado pelas franquias e do próprio perfil do setor de oferecer um modelo pronto para quem deseja empreender. “Mais uma vez, o franchising foi o último a sentir mais fortemente os impactos da piora do quadro macroeconômico e será o primeiro a se recuperar”, destaca ela.

 

 

Foto: Contador baiano, Ernandes Evangelista.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

PRESIDENTE DA EPSON DO BRASIL VÊ POSSIBILIDADE DE CRESCIMENTO MESMO COM PANDEMIA

“Claro que temos que considerar que é uma questão de saúde pública. Mas olhando pelo …

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
LinkedIn