FUSÕES E AQUISIÇÕES DEVEM ATINGIR VOLUME RECORDE NO PAÍS EM 2021

Em março de 2021, foram anunciadas 145 transações de fusões e aquisições no país, volume 169% superior ao mesmo mês de 2020. É o que aponta levantamento mensal feito pela PwC Brasil sobre o mercado de Mergers and Acquisitions (M&A). Já no período acumulado dos primeiros três meses deste ano, foram 333 transações, volume 104% superior à média dos anos de 2015 a 2019 e 50% maior que no mesmo período de 2020. Nota-se, portanto, uma aceleração dos negócios e uma tendência de forte crescimento no volume de transações em 2021, com potencial para se atingir um novo recorde histórico anual. O último foi em 2020, quando foram registradas 1.038 transações, mesmo com os efeitos da pandemia de Covid-19, que teve início justamente no ano passado.

A Região Sudeste mantém 65% do interesse dos investidores nos negócios anunciados. Com 216 transações até março de 2021, apresentou aumento de 46% em comparação ao ano anterior. Somente em março, foram anunciadas 96 transações no Sudeste, aumento de 134% em comparação ao mesmo mês do ano passado. “O Estado de São Paulo concentra 50% das transações anunciadas até março, representadas por 166 transações, sendo 141 transações na região metropolitana de São Paulo e 25 transações nas demais regiões”, diz Maurício Moraes, sócio e líder do Interior de São Paulo da PwC Brasil.

Interior paulista

Envolvendo empresas do interior paulista, por exemplo, foram anunciadas as seguintes transações em março último: a Selmi, companhia do ramo de alimentos que detém a marca Renata e Galo, com fábrica em Sumaré, realizou a aquisição da curitibana Todeschini, de massas e biscoitos, sem valores anunciados; a Domo Invest, gestora de fundos de venture capital, realizou um aporte no valor de R$ 3,5 milhões na Digital Innovation One, plataforma de educação em desenvolvimento de software sediada em Araraquara; e a Raia Drogasil, rede brasileira de drogarias, realizou por meio da RD Ventures a aquisição de 50,7% da startup Healthbit, startup de Campinas de tecnologia focada em big data para a área da saúde, sem valores anunciados. E, entre janeiro e fevereiro deste ano, o destaque vai para o fundo Seed4Science, da Fundepar, que liderou um aporte no valor de R$ 1,6 milhão na Tarvos, agtech de controle e monitoramento de pragas agrícolas, de Campinas. A Fapesp também participou desse aporte.

Tecnologia da Informação

O setor de Tecnologia da Informação (TI) lidera 2021 com 159 transações, crescimento de 130% em relação ao mesmo período de 2020, o equivalente a 48% do total transacionado. Em segundo lugar, ficou o setor de Serviços Auxiliares, com 28 transações, aumento de 65% sobre igual período de 2020 ou 8% do total. Em terceiro, está o de Serviços Públicos, com 16 transações, aumento de 7% em relação a 2020 ou 5% do total.

Investidores nacionais e estrangeiros

O ano de 2021 apresentou um crescimento de 51% do interesse de investidores nacionais (com 252 transações), comparado ao ano de 2020, quando os investidores nacionais concretizaram 167 transações. Neste contexto, as transações envolvendo investidores nacionais representam 80% do total de aquisições e compras anunciadas até março. Estados Unidos, França e Argentina foram responsáveis por 52% do total de transações envolvendo capital estrangeiro.

 

Foto: Maurício Moraes, sócio e líder do Interior de São Paulo da PwC Brasil.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

COM ESTRATÉGIA E ADAPTAÇÃO, SICREDI GARANTE CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES NA PANDEMIA

O avanço da vacinação contra a Covid-19 e o retorno parcial de aulas presenciais ou …

Facebook
Twitter
LinkedIn