FUTURO DO MERCADO DE ENERGIA ELÉTRICA NO BRASIL SERÁ DEBATIDO EM EVENTO DO LIDE CAMPINAS

O mês de janeiro de 2024 irá marcar um importante passo na evolução do comércio de energia elétrica no Brasil com a abertura do mercado livre para empresas de pequeno e médio porte, ou seja, aquelas que tem uma média de consumo igual ou superior a R$ 8.000,00 por mês.Por enquanto, o mercado livre é acessível apenas a negócios de grande porte, com demanda contratada superior a 500 quilowatts (kW), como supermercados, shoppings e hospitais.

Para debater esse tema, o Lide Campinas promove na próxima segunda-feira (27/11), o Lide Talks “Futuro do Brasil – Transição energética e custos futuros”, para empresários e autoridades da região, com a participação de especialista na área.

O diretor executivo da Partner Services, Leandro Kobayashi, empresa que atua em consultoria e gestão no mercado de energia livre, é um dos palestrantes e irá mostrar as vantagens na economia e no planejamento para empresas que pretendem aderir ao novo formato de comércio. “Podemos elencar alguns benefícios na energia livre, como poder de negociação com diferentes fornecedores, fazer planejamento e ter maior controle dos custos, economizar até 35% na conta e consumir energia renovável e limpa”, ressalta Leandro.

Élica Martins, sócia da Grant Thornton Brasil e líder de energia elétrica e recursos naturais, também é uma das convidadas que irá elencar as oportunidades que as mudanças nesse mercado trazem para os consumidores. “O Brasil é um dos países mais avançados em termos de fontes renováveis de energia, com um ambiente regulatório robusto e um mercado que ainda apresenta grande potencial de crescimento. A abertura a partir de 2024deve causar uma migração de alguns consumidores de médio porte, tanto comerciais quanto industriais, aumentando o número de consumidores de energias alternativas, assim contribuindo para meio ambiente”, destaca Élica.

A expectativa é que a mudança permita que 165 mil empresas de pequeno e médio porte possam escolher seu próprio fornecedor de eletricidade e esses números devem crescer ainda mais com novas aberturas previstas no país. Em 2026, todo CPNJ poderá escolher de quem cobrar energia e a partir de 2028 essa opção estará disponível também para residências.

O evento também terá como convidado especial o diretor institucional e ESG da BYD Brasil, Marcelo Schneider. Para Silvia Quirós, presidente do Lide Campinas, o evento é uma importante oportunidade para esclarecer questões e eliminar inseguranças que possam ainda existir sobre as mudanças. “Já estamos quase em 2024 e essa oportunidade é trazer as novas mudanças no mercado de energia, debater e sanar qualquer dúvida dos empresários. É uma forma de ajudar no planejamento de custos dos próximos anos, além de incentivar o consumo de energia limpa no Brasil”, afirma Silvia.

 

 

Foto 1 – Diretor executivo da Partner Services, Leandro Kobayashi.

Foto 2 – Élica Martins, sócia da Grant Thornton Brasil e líder de energia elétrica e recursos naturais.

Foto 3 –  Diretor institucional e ESG da BYD Brasil, Marcelo Schneider.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

AWARE INVESTMENTS INICIA PLANO DE EXPANSÃO REGIONAL E PREVÊ CHEGAR A R$ 20 BI SOB GESTÃO

O ano de 2024 tem tudo para ser bastante promissor para a Aware Investments. O …

Facebook
Twitter
LinkedIn