GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO FINALIZA LICITAÇÃO DO TREM INTERCIDADES EIXO NORTE, ENTRE SÃO PAULO E CAMPINAS

O projeto do Trem Intercidades Eixo Norte, entre São Paulo (SP) e Campinas (SP), teve o leilão internacional de concessão do trem concluído nesta quinta-feira (29/02) na sede da bolsa de valores B3. O consórcio C2 Mobilidade Sobre Trilhos vai ser o responsável pela operação, manutenção, modernização e exploração das receitas nos próximos 30 anos pelo transporte ferroviário de passageiros entre as duas cidades. O prefeito de Campinas, Dário Saadi, participou do evento em que o projeto foi leiloado. O investimento é de R$ 14,2 bilhões.

Ao final do leilão, o governador do Estado de São Paulo, Tarcísio de Freitas, bateu o martelo e convidou Dário Saadi e os demais prefeitos da região por onde o trem vai passar para participarem do momento. Para a licitação, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamento de R$ 6,8 bilhões. O projeto contempla ainda o Trem Intermetropolitano entre Campinas e Jundiaí e a Linha 7-Rubi da CPTM.

Segundo o governador Tarcísio de Freitas, o Trem Intercidades é inovador. “É o primeiro trem de média velocidade do Brasil e vai mudar a vida das pessoas. O projeto abre um ciclo de novos investimentos ferroviários de transporte de passageiros e vai descomprimir as rodovias. Também vamos estimular outros estados a adotarem esse mesmo passo”, disse o governador. Ele também relembrou que esteve em Campinas quando o edital foi aberto. “Estivemos lá celebrando e hoje esse dia chegou”, afirmou.

Para o prefeito Dário Saadi, o projeto é muito importante não somente para Campinas, mas para toda a região metropolitana e Jundiaí. “Esse é o primeiro passo para concretizarmos esse sonho que Campinas tem há muitos e muitos anos que é a retomada do modal ferroviário e do transporte ferroviário Campinas-São Paulo”, disse.

O C2 Mobilidade Sobre Trilhos é composto por duas empresas, a companhia nacional Comporte Participações S.A., que contribui com 60%, e a CRRC Hong Kong, com 40% do consórcio. A C2 apresentou desconto de 0,01% sobre o valor a ser pago pelo Estado pela contraprestação dos serviços públicos de R$ 8,06 bilhões. O Governo de São Paulo aportará R$ 8,98 bilhões. A concessão é de 30 anos.

Operação do trem

O projeto do Trem Intercidades é encabeçado pelo governo do Estado. No âmbito municipal, a Administração acompanha as questões técnicas relacionadas à ocupação do solo e transposição, na área do Complexo Ferroviário, envolvendo a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) e as Secretarias de Urbanismo e de Cultura e Turismo.

O Trem Intercidades vai percorrer os 101 km entre a capital paulista e Campinas no tempo previsto de 1 hora e 4 minutos. É um trem de média velocidade, de até 140 km/h. O trajeto deverá ser realizado por um trem com capacidade para até 860 passageiros, em intervalos de até 15 minutos nos horários de pico. O serviço vai da estação Palmeiras-Barra Funda, na capital, e um novo terminal ferroviário em Campinas, com uma parada curta em Jundiaí.

O Trem Intermetropolitano vai ser um serviço parador com estações em Jundiaí, Louveira, Vinhedo, Valinhos e Campinas. Com operação prevista de sete novos trens, o percurso  será de 44 km e tempo de deslocamento de 33 minutos. A velocidade média será de 80 km/h, com capacidade para transportar 2.048 passageiros em cada trem.

A nova concessionária também será responsável pela operação da Linha 7-Rubi que liga Jundiaí à estação Palmeiras-Barra Funda. A estimativa é que 15 milhões de pessoas em 11 cidades sejam beneficiadas. Serão geradas mais de 10,5 mil empregos, entre diretos, indiretos e induzidos.

De acordo com o secretário estadual de Parcerias e Investimentos, Rafael Benini, o projeto é histórico para os moradores de Campinas e da região, possibilitando que as pessoas que residem e trabalham em cidades diferentes consigam ter mais qualidade de vida.

O valor médio da passagem é de R$ 50 ou menos para o serviço expresso entre São Paulo e Campinas e de R$ 14,05 para o serviço parador intermetropolitano. Já o bilhete da Linha 7-Rubi seguirá a tarifa pública, atualmente de R$ 5.

 

Fotos 1 a 3 – Leilão internacional de concessão do trem Intercidades.

Crédito: Rogério Capela.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

CPFL SE MOBILIZA PARA MIGRAR CLIENTES INTERESSADOS NO MERCADO LIVRE DE ENERGIA

O Mercado Livre de Energia é um ambiente competitivo de negociação de energia elétrica. Nele, …

Facebook
Twitter
LinkedIn