HABICAMP AVALIA POSITIVAMENTE PROGRAMA CARTÃO REFORMA

Cerca de 12 mil famílias devem ser beneficiadas em Campinas com o programa cartão reforma sancionado pelo presidente Michel Temer no final de abril e com previsão de iniciar a liberação entre maio e junho. O programa foi criado para financiar a compra de materiais de construção e deverá injetar R$ 108,4 milhões no comercio varejista de Campinas. As famílias serão cadastradas pela Companhia de Habitação (Cohab) de Campinas, conforme anuncio feito pelo presidente do órgão Samuel Rossilho, na semana passada.FRANCISCO HABICAMPDSC_0794

Para participar do programa, o beneficiário deverá ser proprietário do imóvel e morar no local onde será feita a reforma. Terão prioridade famílias cujo responsável seja uma mulher, que tenham idosos ou pessoas com deficiência como membro, além das famílias com renda baixa. O cartão tem validade de um ano, e é necessário utilizar no período de vigência. A execução da obra é de responsabilidade da família beneficiada.

O Cartão Reforma vai beneficiar famílias de baixa renda que recebem até três salários-mínimos, o equivalente a R$ 2,8 mil. Este crédito poderá ser utilizado na ampliação, promoção da acessibilidade ou conclusão de obras. O programa tem orçamento inicial de R$ 1 bilhão e a previsão do governo federal é de que cerca de 100 mil pessoas sejam beneficiadas nesta primeira fase. O limite de crédito concedido para a aquisição do material de construção será de R$ 9 mil, em média.

O repasse da verba será feito pelo Ministério das Cidades através da Caixa Econômica Federal, que vai entregar o cartão para as famílias selecionadas. Esses valores não são um financiamento, mas um benefício. As pessoas não terão de pagar prestação ou juros pelo uso do dinheiro.

O presidente da Associação Regional da Habitação (Habicamp), Francisco de Oliveira Lima Filho, acredita que o valor a ser liberado pelo cartão reforma vai aquecer o mercado para lojistas de materiais de construção de Campinas. Para Francisco de Oliveira esse valor é de grande importância para os lojistas, uma vez que vem em um momento em que a economia começa a se recuperar de um período recessivo, com forte queda no faturamento. “Além de um fôlego para os comerciantes, este recurso vai ajudar a movimentar a economia local e também a gerar emprego, uma vez que muitas famílias precisarão contratar mão-de-obra especializada para a execução das obras”, acrescenta.

De acordo com o presidente da Habicamp, o setor imobiliário de Campinas também começa a dar sinais de reaquecimento. Com a queda nas taxas de juros, retomada da economia e o aumento da confiança do consumidor estão encorajando as construtoras a desengavetarem investimentos em lançamentos, o que não se via há mais de dois anos. “Ao contrário de outras grandes cidades, onde construtoras ainda dispõem de grande estoque de imóveis para comercialização, em Campinas este número é muito baixo. Para suprir o aumento da demanda nos próximos meses, as construtoras terão que fazer novos lançamentos imobiliários, o que já estamos sentindo entre os nossos associados”, completa.

Foto: Presidente da Associação Regional da Habitação (Habicamp), Francisco de Oliveira Lima Filho.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

PREÇOS DE AÇO E GÁS PRESSIONAM AS INDÚSTRIAS

O aumento nos preços do gás natural e do aço vão impactar a maioria das …

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
LinkedIn