LIBERADOS R$ 68 MILHÕES PARA OS HOSPITAIS UNIVERSITÁRIOS FEDERAIS

Os hospitais universitários federais já podem contar com um reforço financeiro de mais R$ 68 milhões. Os recursos são oriundos do Programa Nacional de ReestruturaçMedicine doctor's working tableão dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), gerido pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), estatal vinculada ao Ministério da Educação (MEC).

A liberação da verba ocorreu por meio de duas portarias do Ministério da Saúde (MS) publicadas nesta terça-feira, 24, no Diário Oficial da União, sendo R$ 50,8 milhões para o custeio de materiais de uso diário das unidades e R$ 17,8 milhões para investimentos em reformas, obras e aquisição de equipamentos. Os recursos financeiros serão liberados mediante a comprovação da liquidação dos empenhos. Em 2018, o Rehuf já liberou de cerca de R$ 199,5 milhões, somados os recursos do MS e do MEC.

Segundo o presidente da estatal, Kleber Morais, a liberação dos recursos impulsiona a melhoria dos serviços prestados de forma gratuita, pelo Sistema Único de Saúde (SUS). “Os recursos do Rehuf destinados aos hospitais universitários reforçam nosso compromisso com o ensino, a pesquisa, a inovação, sem esquecer do atendimento de excelência à saúde das pessoas que utilizam nossos serviços”, avalia Morais.

Esse também é o sentimento de Paulo Mendes, gerente administrativo do Hospital Universitário de Brasília, um dos hospitais contemplados pelo Rehuf. “Esses recursos vêm reforçar o orçamento do hospital a fim de melhor estruturar o abastecimento médico-laboratorial, de maneira a mantermos a excelência dos serviços prestados junto à comunidade, docentes, discentes ou usuários”, reforçou Mendes.

Os recursos do Rehuf, programa administrado pela Ebserh, são destinados à reestruturação e revitalização dos hospitais das universidades federais, integrados ao SUS. O objetivo é criar condições materiais e institucionais para que os hospitais universitários federais possam oferecer atendimento médico e hospitalar de qualidade à população, proporcionar a formação qualificada de profissionais da área de saúde e incentivar o ensino e a pesquisa.

A iniciativa também prevê o financiamento compartilhado dos hospitais por meio dos ministérios da Educação e da Saúde e contempla iniciativas de modernização da estrutura física e do parque tecnológico das unidades hospitalares.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

PARKINSON – O QUE É PRECISO SABER

ARTIGO DA MÉDICA LAURA MORIYAMA  A doença de Parkinson foi descrita em 1817 por James …

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
LinkedIn