MATERNIDADE REAL – COMO A MELATONINA PODE AUXILIAR A REGULAR O SONO?

ARTIGO DA DRª SILVIA MARLI MAGRIN SAULLO

Para as mães, a busca por uma boa noite de sono muitas vezes se torna um desafio, especialmente, diante das demandas constantes da maternidade. Um estudo publicado na revista médica JAMA Psychiatry apontou que os indivíduos com insônia são mais propensos a desenvolver um transtorno de ansiedade e de depressão. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS),os distúrbios do sono já são o segundo transtorno mental mais recorrente no mundo, afetando um terço da população.

Além disso, uma pesquisa da universidade de Warwick, no Reino Unido, mostrou que mães de primeira viagem são mais afetadas do que aquelas que já tiveram experiências anteriores. Ainda comprovou que as mulheres dormem 40 minutos a menos a cada noite de sono no primeiro ano de vida da criança, comparado ao período anterior da gravidez.

Neste cenário, a melatonina surge como uma aliada natural capaz de auxiliar na regulação e na promoção de um descanso mais tranquilo e revitalizante. Considera dar um hormônio produzido pelo organismo, mais precisamente na glândula pineal, que fica no nosso cérebro, ela é liberada no início da noite, quando cai a iluminação natural.

Para as mães que enfrentam dificuldades em conciliar as tarefas do dia com um sono de qualidade, a suplementação desse hormônio pode ser uma opção segura e eficaz, contribuindo para reduzir o tempo necessário para adormecer, melhorar a qualidade do descanso noturno e minimizar interrupções durante a noite. Além disso, é conhecida pelos seus efeitos antioxidantes e neuroprotetores, que podem trazer benefícios adicionais para a saúde cerebral e o conforto em geral.

Segundo o Instituto do Sono, para as mães que amamentam, as cápsulas de melatonina podem gerar alguns efeitos colaterais no bebê – consulte um especialista. É importante ressaltar que o uso da melatonina como suplemento deve ser realizado com orientação médica, respeitando as doses certas e considerando as necessidades individuais de cada pessoa. Para isso, exames laboratoriais podem ser realizados para avaliar os níveis do hormônio no sangue ou na saliva.Priorizar o autocuidado e a qualidade do sono é essencial para manter a vitalidade e o bem-estar necessário para enfrentar os desafios diários da maternidade com energia e disposição.

Drª Silvia Marli Magrin Saullo é patologista clínica do laboratório DMS Burnier.

 

 

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

SOFTWAREONE CRIA UNIDADE DE NEGÓCIO PARA FORTALECER OFERTA DE SERVIÇOS DA MICROSOFT NO BRASIL

O recente lançamento do Microsoft Copilot e a ascensão do uso da Inteligência Artificial Generativa …

Facebook
Twitter
LinkedIn