NÚMERO DE FINTECHS BRASILEIRAS CRESCEU 87% NO ÚLTIMO ANO COM SOLUÇÕES PARA NEGÓCIOS E CONSUMIDOR FINAL

Taxas mais baixas que bancos tradicionais, agilidade nas transações, facilidade de gerenciamento dos recursos e opção de serviços online. Há cerca de três anos as fintechs, startups com sistemas para facilitar a gestão financeira de pessoas e empresas estão transformando o mercado. Elas apostam em soluções simplificadas, de fácil acesso e custo reduzido. O modelo de negócio deu certo e o Brasil, de acordo com a pesquisa do FintechLab, registrou crescimento de 87% desse tipo de empreendimento só no último ano.PagueVeloz - 161006 - JoseHenriqueKracikdaSilva - Daniel Zimmermann (1)

O resultado transformou o Brasil em líder do segmento na América Latina, segundo estudo do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID): 32,7% do mercado na região está no país. E a facilidade para a gestão financeira ofertada para os pequenos negócios foi o que motivou o crescimento da PagueVeloz, fintech catarinense fundada em 2013. A startup desenvolve sistema de serviços financeiros customizados para nichos de mercado que permite, entre outras funcionalidades, pagamento via cartão de crédito, emissão e gerenciamento de boletos, transferências e até simulação de venda parcelada, com previsão de ganhos nas parcelas.

Para o CEO da empresa, José Henrique Kracik da Silva, o acompanhamento do mercado e disseminação da solução em diversos segmentos foi o que estimulou o crescimento da marca. Só no último ano o faturamento deu um salto de 500%. “Começamos a atuar quando o setor de fintechs estava dando os primeiros passos, comercializando o sistema basicamente para despachantes e autoescolas. Com a nossa solução esses negócios passaram a oferecer melhores condições de pagamento para os seus clientes e percebemos que poderíamos ampliar nossa presença de mercado. Hoje vendemos também para pessoas físicas e diversos tipos de pequenos negócios. O ramo automotivo, com oficinas mecânicas, tem se fortalecido. O Brasil tem atraído investimento em fintechs porque os serviços financeiros estão concentrados nas mãos de poucas e tradicionais instituições, o que desperta interesse pela disrupção deste mercado.”, destaca.

Projetos de aceleração, cursos para o setor e encontros entre empreendedores também são ações de fortalecimento registradas no segmento das fintechs. Desde sua fundação, a PagueVeloz tem se consolidado com esse tipo de atividade. “Participamos de projetos como o Startup SC e fomos acelerados pelo programa de aceleração do Darwin Starter, que apoiam o crescimento da cadeia de startups catarinenses e também buscamos a troca de experiências com empreendedores da mesma área. Temos percebido que o compartilhamento é fundamental para o amadurecimento desse mercado”, avalia José Henrique.

A empresa participou ainda do primeiro curso da Fundação Getúlio Vargas voltado exclusivamente para profissionais e empreendedores ligados à fintechs.  A PagueVeloz foi a primeira brasileira a lançar um aplicativo com comando de voz para transferências e até o fim do ano pretende aumentar em 500% o número de clientes e em 700% o volume de transações. Atualmente, são mais de 4 mil usuários na plataforma.

Foto: CEO da PagueVeloz, José Henrique Kracik da Silva.

Crédito: Daniel Zimmermann

 

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

GRUPO AVANÇA CAMPINAS PROMOVE ENCONTRO COM PREFEITO DÁRIO SAADI

O Grupo Avança Campinas, formado por empresários de Campinas (SP), que tem por objetivo contribuir …

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
LinkedIn