O BRASIL ESTÁ PRESTES A SE TORNAR UMA POTÊNCIA GLOBAL EM SOLUÇÕES CLIMÁTICAS BASEADAS NA NATUREZA

Um relatório do IPCC (Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas) das Nações Unidas publicado em 20 de março concluiu que a Terra atingirá seu limite de aquecimento de 1,5°C na década de 2030, portanto, antes do esperado. O caminho do aquecimento global em que estamos é terrível, com uma janela curta para dar a volta por cima. No entanto, o “lado positivo” é que temos soluções disponíveis para enfrentá-lo que podem gerar crescimento econômico e benefícios sociais e ambientais. O IPCC e dezenas de instituições de pesquisa traçaram caminhos claros e lucrativos para converter a economia global em Net Zero, com o Brasil tendo um papel muito importante a desempenhar.

Esses caminhos incluem a redução rápida da utilização dos combustíveis fósseis, o aumento da energia renovável, a adoção de tecnologias de baixo carbono na mobilidade e na indústria e o investimento em soluções baseadas na natureza (NbS ou Nature based Solutions). Embora sejam as menos conhecidas, as NbS são as soluções climáticas mais econômicas, com capacidade de fornecer um terço das reduções globais de Gases de Efeito Estufa (GEE) necessárias para atingir o Net Zero até 2050, gerando meios de subsistência sustentáveis ​​e revertendo a perda de biodiversidade. Eles abrangem alimentos e agricultura, florestas e uso da terra e setores de economia azul, e os NbS mais promissores do Brasil, que incluem agricultura regenerativa e inteligente para o clima, agrossilvicultura, produtos de bioeconomia, restauração de ecossistemas, restauração de fazendas/pastagens degradadas e manejo sustentável de gado.

O Brasil está posicionado para liderar a transição para Net Zero se explorar sua vantagem comparativa em Soluções baseadas na Natureza. Hoje, 73% das emissões de GEE no Brasil vêm do desmatamento e do setor agrícola, de acordo com um relatório de 2022, The Amazon’s Marathon, da Systemiq Brasil para a Aya Earth. Acelerar a implantação em larga escala de NbS no Brasil nesta década poderia reduzir rapidamente essas emissões e também devolver as florestas brasileiras ao seu papel de grandes absorvedores de carbono, geradoras de chuva para o Brasil e estabilizadoras do sistema climático da Terra. “No Brasil, as Soluções Baseadas na Natureza são a maneira mais eficiente de reduzir as emissões de gases de efeito estufa e, ao mesmo tempo, proporcionar economia sustentável a pequenos proprietários e comunidades florestais. São uma alternativa econômica ao desmatamento e a conversão em agricultura. Enquanto em nível global as NbS representam um terço das oportunidades totais de redução de emissões para zero até 2050, no Brasil a proporção é mais que o dobro disso. Se realizado corretamente, com seu sofisticado mercado de capitais e indústria agrícola, em comparação com outras regiões tropicais de alta floresta, o Brasil pode se tornar o maior mercado para investimentos em NbS no hemisfério sul, diz Tony Lent, cofundador da Capital for Climate (C4C), uma plataforma criada para acelerar investimentos nas soluções climáticas mais promissoras, por meio de inteligência de negócios e comunidades de investimento facilitadas.

Explorando a oportunidade NbS do Brasil em detalhes, a Capital for Climate reunirá investidores, empreendedores e especialistas da NbS no dia 25 de abril (www.nbsbrazil.com) para a primeira Cúpula de Investimento em Soluções Baseadas na Natureza focada no Brasil, no Cubo do Itaú em São Paulo. O Summit destacará as oportunidades de investimento em NbS em biomas brasileiros críticos, apresentando e galvanizando o próspero ecossistema de inovação e investimento que apoia o crescimento do setor. Temas  como a posição do Brasil no mercado global emergente de NbS e oportunidades de investimento no NbS de maior potencial do Brasil serão aprofundados.

O encontro tem cinco objetivos: 1. Melhor organizar e começar a criar um centro de gravidade para os investimentos da NbS no Brasil; 2. Ajudar os investidores a enxergar a oportunidade NbS em um contexto global e entender seus modelos de negócios mais promissores; 3. Promover a comunidade e fazer negócios com networking entre investidores e empreendedores líderes do NbS; 4. Reforçar o lançamento da Plataforma de Investimento NbS, nbs.capitalforclimate.com, lançado pela primeira vez com a COP26 High Level Champions Team; 5) Lançar formalmente o NbS Investment Collaborative, inicialmente um grupo de 10 investidores líderes ativos no Brasil que representa um amplo espectro da comunidade de investimentos em Nature-based Solutions em seus negócios – incluindo JGP, BTG Pactual, Vert Capital, entre outros. O Colaborativo servirá como uma ligação estratégica ancorada regionalmente para o capital internacional de grande escala para obter oportunidades e investir nas NbS brasileiras. É financiado pelo The Finance Hub da The Gordon and Betty Moore Foundation. “Já existem instituições de investimento com mais de US$ 8,6 trilhões sob gestão, comprometidas com uma gestão de portfólio livre de desmatamento e positiva para a natureza. A McKinsey estima que só o mercado brasileiro de carbono pode valer US$ 100 bilhões em cinco anos. Com base em discussões contínuas com investidores, a Capital for Climate estima que o investimento da NbS pode se tornar uma fonte multibilionária de investimento internacional no Brasil nos próximos três anos”, acrescenta Lent.

O agronegócio, incluindo a expansão da produção de carne bovina e soja, tem sido uma importante fonte de crescimento econômico e geração de riqueza no Brasil nos últimos 30 anos. Esse crescimento teve enormes custos ambientais e sociais. Agora, as soluções baseadas na natureza estão se tornando bem posicionadas como o próximo pilar central do crescimento econômico do País até 2050 e além.

 

 

Foto:  Tony Lent, cofundador da Capital for Climate (C4C).

Crédito: Divulgação.

 

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

PODCAST PANORAMA DE NEGÓCIOS TEM COMO TEMA MOBILIDADE URBANA INTELIGENTE DE FORMA SUSTENTÁVEL

Neste episódio do podcast Panorama de Negócios vamos falar sobre mobilidade urbana inteligente de forma …

Facebook
Twitter
LinkedIn