OS BENEFÍCIOS DA INTERGERACIONALIDADE NO MERCADO DE TRABALHO

O mercado de trabalho passa constantemente por transformações significativas, e uma das mudanças que está nesse processo de amadurecimento é o reconhecimento e a valorização do potencial dos profissionais com 60 anos ou mais. A famosa economia prateada já mostra que esse grupo é ativo financeiramente e quer estar em atividade por muitos anos, mesmo após a aposentadoria.

Este segmento da população, muitas vezes subestimado, demonstra cada vez mais sua vitalidade, experiência e disposição para contribuir ativamente no ambiente profissional. Além disso, a intergeracionalidade tem se destacado como um elemento essencial para o sucesso das organizações, promovendo a troca de conhecimentos e experiências entre diferentes faixas etárias. “É importante destacar que a diversidade etária no local de trabalho traz uma variedade de perspectivas, habilidades e formas de pensar que podem impulsionar a inovação e o crescimento das empresas. Os profissionais mais experientes apresentam um vasto conhecimento acumulado e uma capacidade de lidar com desafios complexos. Por outro lado, os trabalhadores mais jovens trazem consigo um frescor de ideias, uma familiaridade com as novas tecnologias e uma disposição para pensar de maneira criativa”, diz Jotta Junior, empresário e especialista comportamental, membro da Neurobusiness Society e cofundador do canal Longidade.

A colaboração entre diferentes gerações não apenas enriquece o ambiente de trabalho, mas também contribui para a construção de equipes mais resilientes e eficientes. Ao promover a interação entre profissionais de diferentes idades, as organizações estão investindo no desenvolvimento de uma cultura inclusiva e no estabelecimento de relações de trabalho mais harmoniosas.

Jotta Junior reforça que é fundamental reconhecer que o público 60+ possui um potencial econômico significativo. “Cada vez mais ativos e engajados, esses profissionais estão redefinindo as expectativas em relação à aposentadoria e demonstrando um interesse crescente em permanecerem no mercado de trabalho, seja por necessidade financeira, por paixão pela profissão ou simplesmente para se manterem ativos e conectados socialmente”, afirma o especialista.

Assim, cada vez mais é reforçada a importânciadas organizações adotarem políticas e práticas que incentivem a integração de profissionais de todas as idades, criando oportunidades de aprendizado mútuo e desenvolvimento contínuo. Ao fazê-lo, estão não apenas investindo no sucesso de seus negócios, mas também contribuindo para a construção de uma sociedade mais inclusiva.

 

Foto: Jotta Junior, empresário e especialista comportamental,membro da Neurobusiness Society e cofundador do canal Longidade.

Crédito: Divulgação.

 

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

EMPRESAS JÁ INCLUEM THOUGHT LEADERSHIP EM ESTRATÉGIAS DE MARKETING DE CONTEÚDO

O Thought Leadership, que pode ser traduzido para o português como ‘liderança de ideias’, está …

Facebook
Twitter
LinkedIn