CÂMARA DE COMÉRCIO EXTERIOR DE CAMPINAS E REGIÃO COMPLETA 10 ANOS E FIRMA TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA COM PROURBE

A Câmara de Comércio Exterior de Campinas e região  (CCCER) está completando 10 anos. A entidade tem como foco fomentar a cadeia produtiva, incentivando o empreendedorismo, buscando oportunidades de mercados e conexões em negócios. Desde que foi fundada em 2014, por 58 empresários empreendedores, a CCCER tem buscado valorizar e fortalecer diversos setores produtivos trazendo subsídios aos agentes econômicos de segmentos variados com foco no comércio exterior. Atualmente atua em 48 cidades. Para marcar esses 10 anos, a Câmara promove nesta terça-feira (07/05), às 8h30, na sede do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), regional Campinas, que fica na rua Padre Camargo de Lacerda, 37, no Jardim Chapadão, em Campinas (SP), o primeiro evento que vai marcar uma série de atividades em 2024.

O presidente da CCCER, Márcio Barbado, diz que será assinado um termo de cooperação técnica com o Prourbe. Segundo Barbado, a parceria com o Prourbe surgiu após muitas conversas, pois as duas entidades participam de vários conselhos municipais em Campinas, entre eles, o Conselho da Cidade (Concidade), que tem como missão propor diretrizes para a formulação e implementação de uma política municipal de desenvolvimento urbano sustentável. Marcio Barbado disse ainda que a CCCER formou um vínculo com o Prourbe pelas propostas e visão do seu presidente, Eduardo Coelho. “Nós resolvemos fazer um termo de cooperação técnica, que é uma colaboração mútua entre as duas entidades na elaboração e interpretação de estatísticas, balizar o desenvolvimento econômico, a sustentabilidade, o social para além da região metropolitana de Campinas, mas partindo de Campinas, incluindo, inclusive, o sul de Minas. Você pega cidades como Pouso Alegre que tem o setor automotivo. Poços de Caldas tem mineração; Andradas é couro; Alfenas é grão; Varginha é café, então esse pessoal está sempre interagindo com a nossa Câmara e se produz muita informação sobre isso e muitas cidades ocupando a estrutura instalada em Campinas”, justifica.

Márcio Barbado  acrescentou que o Prourbe tem uma estrutura não só acadêmica na área de urbanismo, mas também uma estrutura de empresários que participam da entidade e sabem das necessidades de Campinas, por isso, o termo de cooperação técnica será essencial em função de proporcionar uma linha de trabalho muito grande em 2024 para a CCCER. “Vamos abastecer nossos sócios com informações importantes porque esses agentes econômicos para tomarem decisões precisam de informação segura e é o que vamos estar produzindo esse ano inteiro   e de uma forma um pouco mais abrangente. Vamos tentar abranger não só os associados, os filiados e também os veículos de imprensa”, diz.

O presidente do CCCER destacou a importância de fortalecimento digital da entidade. “Transformar a Câmara cada mais em uma instituição digital que as pessoas através do site da nossa plataforma busque essas formações e informações num processo mais rápido. Formações a gente entende como balcão e informação nós entendemos como dados. Transformando essas tabelas técnicas em texto mais palatável em formato em formato mais coloquial para os empreendedores e os agentes econômicos de uma forma geral”, revela.

O presidente do Prourbe, Eduardo Coelho, explicou que a entidade tem em sua maioria engenheiros, arquitetos, pessoas que são da área imobiliária como empreendedores. “O nosso objetivo é pensar Campinas, ou seja, pensar no seu planejamento e o seu desenvolvimento  visando o desenvolvimento sustentável”, destaca.

Eduardo Coelho avalia de que forma o Prourbe pode contribuir com o CCCER. “A gente tem que somar forças e como a CCCER tem uma série de pessoas que estão discutindo também o desenvolvimento da região através do comércio exterior e através de iniciativas nacionais e internacionais porque não reunir essas pessoas conosco, que estamos  pensando nas questões urbanas, nas questões municipais e como é que nós podemos juntar as potencialidades de um pessoal que tem bom relacionamento com pessoas do ramo empresarial, consultores de negócios, conosco que somos engenheiros. arquitetos e queremos encontrar e dar de alguma forma uma contribuição para a cidade para poder equacionar  melhor o seu crescimento”, avalia Coelho.

Para Eduardo Coelho, por meio desse termo de cooperação técnica poderá ser criado um espaço de debates envolvendo autoridades, especialistas e pessoas, que de alguma forma tenham o que dizer e contribuir nesse processo de desenvolvimento.

 

Foto: Presidente da Câmara de Comércio Exterior de Campinas e Região (CCCER), Márcio Barbado.

Crédito: Divulgação.

 

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

SOFTWAREONE CRIA UNIDADE DE NEGÓCIO PARA FORTALECER OFERTA DE SERVIÇOS DA MICROSOFT NO BRASIL

O recente lançamento do Microsoft Copilot e a ascensão do uso da Inteligência Artificial Generativa …

Facebook
Twitter
LinkedIn