USO DE TECNOLOGIA NA ESCOLA AINDA É LIMITADO

Uma pesquisa divulgada pela Tecnologias  de Informação e Comunicação (TIC) Educação aponta que a adoção de tecnologias de informação e comunicação, acesso e uso de computador, internet e dispositivos móveis em atividades escolares foi citado por apenas 52% dos alunos de escolas localizadas em áreas urbanas com turmas do Ensino Fundamental II e Ensino Médio.Palma Escola

De acordo com o mestre em matemática José Luís Poli, co-fundador da Anhanguera Educacional S/A, este é um índice de resposta muito baixo se for levado em conta que a presença de equipamentos tecnológicos encontra-se universalizada entre as escolas públicas em áreas urbanas e de que 95% delas possuem pelo menos um desses computadores conectados à internet, conforme dados do ProInfo – programa criado pelo Governo Federal que promove o uso pedagógico de Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) na rede pública de Ensino Fundamental e Médio.

O disparate tem um motivo, ainda segundo os números da pesquisa da TIC Educação no qual 45% das escolas públicas ainda não ultrapassaram 4Mbps de velocidade de conexão à internet, enquanto 33% delas possuem velocidades de até 2Mbps.

Para driblar a limitação que a conexão à internet provoca e não haver a preocupação do aluno ficar navegando na aula em vez de estudar, o aplicativo Palma, idealizado pelo professor Poli e desenvolvido em Campinas, só usa a rede para baixar. A utilização do software a partir daí é off-line.

O Palma é gratuito e funciona em dispositivos Android. O aplicativo combina letras, imagens e áudios em atividades autoinstrucionais e tem por objetivo desenvolver, por meio digital, habilidades de leitura, escrita e compreensão de pequenos textos, tanto em crianças, quanto em adultos em processo de aprendizagem do ler e do escrever. “Oferecemos o aplicativo a todas as escolas e damos treinamento aos professores”, sinaliza Poli.José Luís Poli

A IES 2 (Inovação, Educação e Soluções Tecnológicas), desenvolvedora do Palma, cria também outros programas pedagógicos disponíveis para diversos dispositivos.

A pesquisa TIC Educação foi realizada entre os meses de agosto e dezembro de 2016 e contemplou 1.106 escolas públicas e privadas, com turmas do 5º ou 9º ano do Ensino Fundamental e/ou 2º ano do Ensino Médio localizadas em áreas urbanas.

Autor da pesquisa sobre uso da tecnologia nas escolas, o Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br) é um departamento do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (Nic.br), que implementa as decisões e projetos do Comitê Gestor da Internet do Brasil (Cgi.br). O objetivo é avaliar a infraestrutura das TIC (Tecnologias de Informação e Comunicação) em escolas públicas e privadas de áreas urbanas e a apropriação dessas nos processos educacionais.

O levantamento, realizado anualmente desde 2010, englobou em 2016 entrevista com 935 diretores, 922 coordenadores pedagógicos, 1.854 professores de Língua Portuguesa e Matemática ou multidisciplinares e 11.069 alunos de 5º e 9° ano do Ensino Fundamental e 2° ano do Ensino Médio.

Foto 1 – Palma Educação.

Foto 2 – Professor José Luis Poli.

Crédito: Divulgação.

 

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

SOFTWAREONE CRIA UNIDADE DE NEGÓCIO PARA FORTALECER OFERTA DE SERVIÇOS DA MICROSOFT NO BRASIL

O recente lançamento do Microsoft Copilot e a ascensão do uso da Inteligência Artificial Generativa …

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
LinkedIn