CONSTRUÇÃO CIVIL ABRE 837 VAGAS NA REGIÃO METROPOLITANA DE CAMPINAS EM JUNHO

Os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do mês de junho, divulgados pelo Ministério da Economia nesta quinta feira (25/07) pelo , reforçam a retomada da construção civil na Região Metropolitana de Campinas (RMC), iniciada em janeiro. O setor abriu nos 20 municípios que formam a RMC no mês passado 837 postos de trabalhos. Com isso, o primeiro semestre terminou com 2.289 contratações formais com carteira assinada. No mesmo período do ano passado as construtoras haviam eliminado 1.210 postos de trabalho.

Junho foi o sexto mês consecutivo com numero maior de contratações que demissões no setor. Dez dos 20 municípios fecharam com saldo positivo. Indaiatuba (303), Campinas (302) e Paulínia (242) foram as cidades onde tiveram os maiores números de contratações formais. Por outro lado, Cosmópolis (63), Santa Bárbara D’Oeste (53) e Americana (51) tiveram os maiores números de vagas eliminadas.

SEMESTRE

No acumulado de janeiro a junho, a construção civil da RMC reverteu o quadro registrado no mesmo período de 2018. No ano passado, no mesmo período, foram registradas 11.232 admissões contra 12.442 desligamentos. Em 2019, o saldo é de 14.608 admissões e 12.319 demissões.

Dos 20 municípios, 14 acumulam saldo positivo. Indaiatuba lidera as contratações, com 1.133 trabalhadores, seguida por Campinas (1.012) e Itatiba (100). Ainda continuam com saldo negativo (Artur Nogueira (03), Engenheiro Coelho (01), Hortolândia (51), Jaguariúna (21) e Paulínia (279).

Para o presidente da Associação Regional da Construção de Campinas e Região (Habicamp), Francisco de Oliveira Lima Filho, mesmo diante de um quadro político e econômico cheios de incertezas, a construção vem mostrando um desempenho positivo e sustentável neste ano. “Os números de contratações refletem o otimismo dos empresários do setor, mesmo cautelosos no primeiro semestre”, explica. “Temos visto, principalmente em cidades com Campinas e Indaiatuba, um grande número de lançamentos imobiliários desde janeiro, por conta da demanda do mercado. Isso tudo leva a novas contratações para a retomada das obras, com tendência se melhorar ainda mais no segundo semestre”, diz Oliveira Lima. “Com a reforma previdenciária próxima de ser aprovada, a injeção de recursos do FGTS na economia, aprovação de outras medidas econômicas e redução de burocracia que devem ser anunciadas nos próximos meses, estão trazendo de volta um quadro ainda mais positivo e isso vai se refletir em novos investimentos e contratações por parte das construtoras de trabalhadores e profissionais prestadores de serviços”, finaliza.

 

Foto: Presidente da Associação Regional da Construção de Campinas e Região (Habicamp), Francisco de Oliveira Lima Filho.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

DIA MUNDIAL DAS DOENÇAS RARAS É MARCADO POR ATIVIDADES EM TODO O PAÍS

O mês de fevereiro marca o Dia Mundial das Doenças Raras (29/02), e este ano …

Facebook
Twitter
LinkedIn