CONVENÇÃO DE VENDAS: ALIAR AVALIAÇÃO DE RESULTADOS COM MOTIVAÇÃO DA EQUIPE

Grande parte das empresas brasileiras aproveita o fim de ano para reunir as equipes e mensurar os resultados alcançados nos últimos meses. Apesar destes eventos serem chamados de convenção de vendas, muitas vezes englobam não só o time comercial, mas também profissionais de todos os setores.Mega - 160317 - Roberto Vilela - Daniel Zimmermann (2)

Para Roberto Vilela, é hora de discutir com todos os profissionais, sim, já que uma venda começa no momento em que seu cliente é recepcionado – tudo o que aconteceu e pensar no futuro. O consultor empresarial avalia que a convenção, seja no fim do ano ou nas primeiras semanas de janeiro, deve mesclar dois lados distintos da gestão: a apresentação do que foi feito e a expectativa do que deve ser realizado no próximo ciclo. “Sempre indico que estes encontros não sejam apenas de cobranças pela meta não batida, apresentação de números que não atingiram o estimado ou balanço do ano. Estas questões são importantes e devem estar no planejamento do evento, mas se a convenção for só sobre isso o que a empresa terá nos próximos meses é um time totalmente desmotivado”, avalia.

O consultor indica que estes dados venham acompanhados também de números positivos e realizações que mostrem a importância da equipe para os negócios. “A convenção é também um momento de reconhecer o esforço do seu time e garantir que ele seja o primeiro a saber sobre as novidades do negócio, sejam produtos, serviços ou mesmo a projeção realizada pela direção”, indica. “Isso evita aquela sensação de só receber ordens e ser cobrado, mostrando que o profissional é parte da empresa”, diz.

Outra dica do consultor é, no momento do planejamento do evento, optar por realizá-lo em locais fora do local de trabalho. “Tire as pessoas da zona de conforto, traga uma opinião profissional de alguém que não esteja dentro do negócio diariamente, ouça o que sua equipe tem a dizer. Uma convenção de vendas só é um sucesso quando permite que exista colaboração, transparência e uma definição clara do que se espera das pessoas para o próximo ano”, conclui.

Especialista nas áreas de gestão e estratégias comerciais, Roberto Vilela é diretor da Mega Empresarial. A empresa tem 17 anos de experiência e atua em todo o Brasil com clientes de médio e grande porte, com serviços de headhunting, consultoria comercial, treinamentos vivenciais e palestras. É também autor do livro Em Busca do Ritmo Perfeito, em que traça um paralelo entre as lições que vivenciou no mundo das corridas e o dia a dia nos negócios.

Foto: Diretor da Mega Empresarial, Roberto Vilela.

Crédito: Daniel Zimmermann

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

COM ESTRATÉGIA E ADAPTAÇÃO, SICREDI GARANTE CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES NA PANDEMIA

O avanço da vacinação contra a Covid-19 e o retorno parcial de aulas presenciais ou …

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
LinkedIn