MUDANÇA DE HÁBITOS DO CONSUMIDOR NA PANDEMIA IMPULSIONA NOVAS SOLUÇÕES PARA O MERCADO DE DECORAÇÃO

A pandemia da Covid-19, que provocou o isolamento social, fez com que as pessoas ficassem mais tempo em casa e consequentemente estimulou muita gente a reformar e decorar a casa. A empresa de estudos GfK identificou que no último ano as vendas de produtos de decoração cresceram exponencialmente e que o consumidor está mais propenso a se presentear com itens que garantam seu conforto e bem-estar em casa. Na última Black Friday, o Google Trends mostrou que a pesquisa por itens para a casa cresceu 200% em relação a 2019. E, por fim, a Associação Brasileira de E-commerce (Abcom) mostrou que já nos primeiros meses da pandemia a compra destes itens subiu 36%.

Quando o mercado identifica uma nova tendência de consumo, soluções para automatizar e apoiar a produção em larga escala também surgem na indústria de decoração. Foi justamente analisando o comportamento do mercado que a Censi Máquinas, empresa brasileira que desenvolve maquinários para o mercado têxtil, apostou em um novo nicho de soluções.O empreendimento reforçou no último ano as vendas da Paper Cutter, primeira máquina 100% brasileira para a automação do corte de itens decorativos, como papel de parede, adesivos para quadros de MDF e similares.

O modelo ganhou destaque no portfólio da empresa: a procura pela solução cresceu no último ano e reflete que o mercado de decoração também fomenta novos negócios para outras frentes da indústria.

Automação para elevar a produtividade dos empreendedores

A diretora executiva da Censi Máquinas, Sheila Censi Braun, explica que a aposta na solução se deu para suprir uma necessidade latente do mercado. “Ainda é muito comum que o processo de corte destes itens seja manual ou com equipamentos rudimentares, o que implica em produtividade, segurança e especialmente na qualidade. Ao desenvolvermos a Paper Cutter buscamos oferecer ao cliente a possibilidade de aumentar exponencialmente seu volume de vendas, com precisão total de corte, segurança e menos pessoas no processo”, diz.

No corte de papel de paredes, a automatização revolucionou o negócio destes clientes, que antes do equipamento levavam até 6h para cortar um rolo de 50 metros. Mesmo em se considerar o set up, a Paper Cutter pode ser pelo menos 30 vezes mais produtiva, pois faz o mesmo trabalho em 10 minutos.

Primeira máquina desenvolvida para um segmento totalmente diferente do que deu origem à empresa, a Paper Cutter também marca uma fase da Censi Máquinas voltada às novas necessidades do mercado. “Assim como muitos negócios, aguçamos nosso olhar para as oportunidades surgidas na pandemia e fortalecemos a atuação no segmento de decoração e comunicação visual. É um casamento perfeito: trouxemos a primeira solução nacional para o segmento, enquanto o empreendedor pode reduzir custos e otimizar processos.

 

Foto 1 – Diretora executiva da Censi Máquinas, Sheila Censi Braun.

Foto 2 – Paper Cutter, da Censi Máquinas.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

COM ESTRATÉGIA E ADAPTAÇÃO, SICREDI GARANTE CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES NA PANDEMIA

O avanço da vacinação contra a Covid-19 e o retorno parcial de aulas presenciais ou …

Facebook
Twitter
LinkedIn