COMÉRCIO DE CAMPINAS FECHA 1º SEMESTRE COM SALDO NEGATIVO DE EMPREGO

O comércio de Campinas fechou 1.331 postos de trabalho no primeiro semestre deste ano, um resultado de 1.448 desligamentos contra 117 admissões. O pior mês foi registrado em janeiro quando houve 800 desligamentos, seguido de março com 436 e maio com 174. Os dados são de um levantamento feito pelo SindiVarejista de Campinas e Região em parceria com a FecomercioSP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

Se comparado com o mesmo período do ano passado houve uma melhora já que no primeiro semestre de 2018 foram fechadas 1.791 vagas no comércio da cidade.

Neste ano, o setor que mais demitiu no varejo foram as lojas de vestuário, tecido e calçados. No acumulado dos seis meses foram demitidos 872 trabalhadores desse setor. Também sofreram cortes de funcionários as lojas de eletrodomésticos e eletrônicos (171).

Ao fazer uma análise dos nove setores do varejo, os únicos que terminaram o primeiro semestre com saldo positivo foram os de material para construção e de concessionária de veículos. O primeiro fechou os seis meses com saldo positivo de 75 contratações e o segundo teve 42 admissões.

Menos vagas

Apesar do número alto de demissão, a presidente do SindiVarejista, Sanae Murayama Saito, afirmou que é natural que o comércio varejista tenha no primeiro semestre um saldo negativo de postos de trabalho. “Isso ocorreu devido à massiva dispensa, no primeiro trimestre, dos temporários contratados para o Natal”, afirmou.

A presidente também destacou que, ainda assim, temos em 2019 uma situação mais amena que a vista no acumulado dos seis primeiros meses do ano passado: enquanto naquele período 1.791 empregos foram perdidos no varejo de Campinas, neste ano a perda foi de 1.331 vagas. “A inflação baixa, estabilização de endividamento e inadimplência e queda de juros têm dado tons menos pessimistas ao cenário. Tanto que a expectativa para o comércio varejista do município é que no segundo semestre tenhamos saldo positivo, isto é, mais admissões que desligamentos e que este saldo sobreponha as perdas do primeiro semestre”, analisou.

Junho positivo

Após uma sequência de três meses de fechamento de vagas (março, abril e maio) junho voltou a gerar vagas de emprego com carteira assinada em Campinas. De acordo com levantamento, em junho foram geradas 94 novas vagas, resultado de 2.565 admissões contra 2.471 desligamentos. O dado também contrapõe o mesmo período do ano passado quando em junho foram fechadas 505 vagas no comércio.

Em junho os setores que lideraram a diminuição de vagas foram o varejo de farmácias e perfumarias (-18 vagas) e as lojas de vestuário, tecidos e calçados (-58 vagas). Já o melhor resultado é do varejo de eletrodoméstico e eletrônicos (+76 vagas).

 

Foto: Presidente do SindiVarejista, Sanae Murayama Saito.

Crédito: Divulgação.

 

 

 

 

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

PESQUISA DA ABFINTECHS E DA PwC BRASIL REVELA QUE 48% DAS FINTECHS DOBRARAM DE TAMANHO EM 2019

A Associação Brasileira de Fintechs (ABFintechs) e a consultoria e auditoria PwC Brasil anunciam o …

Facebook
Twitter
LinkedIn