HÁ DIFERENÇA ENTRE PREVENÇÃO E DIAGNÓSTICO PRECOCE DE DOENÇAS?

Inúmeras enfermidades importantes podem ser evitadas com prevenção. E o antecipar-se a problemas de saúde vai muito além de fazer check ups anuais. O urologista Sandro Faria, que atende e opera no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, e no Hospital Vera Cruz, em Campinas, alerta que há bastante diferença entre fazer exames periódicos para diagnosticar irregularidades precocemente e prevenir doenças. “Os exames são eficientes guias para controle de doenças genéticas ou males que se deseje mapear antes que apareçam ou bem no início da instalação para haver mais chances de sucesso num potencial tratamento”, explica o médico.

Já a prevenção para a busca de uma vida saudável, de acordo com o especialista, é muito mais abrangente e deve permear o dia a dia do indivíduo. Independente do histórico familiar ou de questões congênitas, a procura pelo bem-estar está relacionada à manutenção de bons hábitos. “Não fumar, alimentar-se com equilíbrio de nutrientes e com uma dieta fracionada no decorrer do dia, fugir de excessos de gordura animal, praticar exercícios aeróbicos, musculares e de alongamento, evitar a obesidade e tomar sol em horários apropriados para garantir a dose ideal de vitamina D no organismo estão entre as ações que asseguram a saúde e afugentam doenças”, observa o doutor.

Segundo Dr. Sandro Faria, com atitudes preventivas na rotina ao longo da vida, pode-se reduzir a incidência até de cânceres. “Na dieta, há alimentos indispensáveis, sem excessos, como os ricos em cálcio, sementes, castanhas e hidratação diária adequada, indicada em 30 ml por cada quilo do indivíduo”, diz.

O médico frisa ainda que a exposição a alguns tipos de produtos químicos e compostos orgânicos voláteis intoxicantes pode estimular o surgimento de doenças. Como precaução, deve-se manter distância dessas substâncias, a exemplo de solventes, como benzeno e formaldeído, encontrados em produtos como tinturas, colas, lustra móveis, pesticidas ..

O urologista Sandro Faria, que atende e opera em Campinas e em São Paulo, está entre os três médicos que mais recorrem à cirurgia robótica no Brasil. Tendo mais de 2 mil intervenções feitas com robô na carreira, realizadas em diversas partes do País, Dr. Sandro opera exclusivamente com a ferramenta desde 2010.

Um mês depois que o primeiro robô chegou ao Brasil, em 31 de abril de 2008, no Hospital Israelita Albert Einstein, Dr. Sandro, que tem consultório no Einstein, fez duas cirurgias de próstata na capital paulista no mesmo dia: 25 de maio de 2008, uma no Einstein e outra no Hospital Sírio-Libanês, que a esta altura havia adquirido o robô Da Vinci também. Além destas duas renomadas instituições em São Paulo, o urologista opera ainda no Hospital Vera Cruz, em Campinas.

Por ter sido um dos pioneiros no uso de robô em procedimentos cirúrgicos, Dr. Sandro, que especializou-se na técnica na Emory University (EUA), é convidado pela fabricante do Da Vinci e por hospitais de todo o País para capacitar médicos iniciantes na prática em intervenções relacionadas a câncer de próstata, tumor renal e hiperplasia prostática benigna.

 

Foto: Urologista Sandro Faria.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

VINHO EM LATA É A NOVIDADE DA EVINO EM OUTUBRO

A EVINO, referência nacional em vendas online de vinhos, tem uma grande novidade. A partir …

Facebook
Twitter
LinkedIn