HERANÇA DOS OLHOS: MUITO ALÉM DA COR

Quando se trata de olhos, a maioria das pessoas só se lembra da hereditariedade na coloração. Mas existem muitas doenças visuais hereditárias e, por isso, é sempre bom estar atento às patologias oculares que passam de geração em geração.

As mais conhecidas são: miopia, hipermetropia e astigmatismo, que podem ser identificadas por meio das consultas de rotina desde muito cedo. “A partir dos 4 anos de idade, a gente já consegue avaliar o desenvolvimento visual e detectar essas alterações. Pode ser até antes se for o caso de grandes estrabismos ou alterações anatômicas”, explica a médica oftalmologista Dra. Claudia Benetti, do Centro de Cirurgia Oftalmológica de Campinas.

Outras doenças visuais que acompanham pessoas da mesma família são catarata, glaucoma e degeneração macular. A catarata é a opacificação do cristalino dos olhos e precisa de cirurgia. O glaucoma é uma doença de dificuldade circulatória nos olhos, que pode estar associada à pressão alta na região e que pode levar à cegueira irreversível. Muitas vezes, ele é assintomático, por isso é necessário um exame periódico, principalmente, para quem tem histórico na família. Já a degeneração macular é relacionada à perda da visão central. Apesar de não existir cura, pode-se retardar a progressão da doença. “Estas doenças aparecem mais em adultos, a partir dos 50 anos, e é muito interessante sempre ficar atento no histórico familiar, porque o glaucoma, por exemplo, é uma doença silenciosa que pode levar à cegueira e a degeneração pode ser melhor administrada se o oftalmologista já souber deste histórico. Vale lembrar, no entanto, que o fato de ter na família, necessariamente, não será herdada pelos filhos e netos”, afirma Cláudia. Já o daltonismo é um capítulo à parte. É hereditário, não tem tratamento nem cura e é raro em mulheres.

Dra. Cláudia Benetti é médica formada pela PUC-Campinas, especialista em Oftalmologia pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), pós-graduada em Medicina Chinesa e Acupuntura pela Escola Paulista de Medicina (Unifesp) e pós-graduada em Medicina Integrativa pelo Hospital Israelita Albert Einstein.

O Centro de Cirurgia Oftalmológica de Campinas, localizado no bairro Cambuí, possui centro cirúrgico próprio, onde são realizadas cirurgias em esquema ambulatorial. O paciente faz a cirurgia sem a necessidade de internação. As intervenções são sempre acompanhadas e supervisionadas por um anestesista. Os equipamentos modernos e profissionais capacitados possibilitam um atendimento seguro e eficaz para total recuperação da capacidade visual funcional.

 

Foto: Médica oftalmologista Drª Claudia Benetti, do Centro de Cirurgia Oftalmológica de Campinas.

Cr[edito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

PRÁTICA CORPORAL CHINESA QUE MELHORA O HUMOR E A DISPOSIÇÃO É OFERECIDA EM CAMPINAS

A correria do dia a dia pode ser estressante. Em meio a compromissos familiares, trabalho, …

Facebook
Twitter
LinkedIn