ARTIGO – CONTRIBUINTE, INOVAÇÃO E GESTÃO PÚBLICA

Tiago Aguirre.*
Cada vez mais as empresas precisam recriar seus negócios para manter e conquistar clientes e consumidores. Entregar o que foi combinado, já está fora da discussão. É básico para qualquer negócio oferecer produtos ou serviços que atendam as necessidades do cliente, com a qualidade, prazo e preço combinados.
Problemas no atendimento, falha no funcionamento e omissão de informações, apenas aumentam a distância entre o cliente e uma marca, fazendo o mesmo buscar alternativas. E, embora ainda aconteça, ninguém gosta de ficar “refém” de uma marca por falta de opção. O amadurecimento do mercado criará alternativas às marcas que ainda não se preocupam efetivamente com seus clientes. 
Hoje, o cliente quer ter suas expectativas superadas, ou seja, que o resultado do atendimento (ou do produto) vá além do esperado. E se atender o cliente dentro do combinado já não é tarefa simples, ir além é o desafio que constrói as grandes marcas. Este desafio de ir além é o que faz um empreendedor viver. O desejo de entregar algo para seu cliente que possa “revolucionar” seu dia a dia, entregar uma “experiência única” é o que traz realização. 
Doze anos atrás, quando a “bolha da internet” explodiu, era comum encontrar pessoas “céticas” quanto ao futuro da Internet. Era compreensível um executivo ter uma secretária para ler e imprimir seus e-mails. E os celulares? Alguns poucos tinham possibilidade de “estar disponível” (ou ter uma linha) em qualquer hora e lugar. Lembro que tive que pagar para obter uma linha de celular…
Atualmente, ferramentas como e-mail ou um site são essenciais para entregar o “mínimo combinado” a qualquer pessoa com quem uma empresa se relacione (cliente, colaborador, parceiro, fornecedor, acionista, …). É difícil encontrar uma pessoa que não tenha telefone celular. E a quantidade de pessoas com acesso a internet nos celulares está crescendo fortemente, o que irá trazer novas revoluções no processo de comunicação.
E em meio a Revolução do Conhecimento, ainda é difícil o processo de comunicação com as diversas esferas do Estado. Quantos carimbos e papéis ainda são necessários para fazer um negócio funcionar. Avaliando nossa região, ainda é muito lento o processo de “aceitar” e utilizar com eficiência ferramentas eletrônicas para relacionamento com os empreendedores e com a sociedade. Isso porque a RMC é considerada a Região do Conhecimento, com PIB maior que 19 estados brasileiros.
Buscar eficiência nos gastos é básico. Não é motivo para glória. Servir bem ao Contribuinte, com eficiência, é básico. O mínimo combinado com o Executivo (prefeito) é a gestão eficiente das necessidades de saúde, educação, infraestrutura e desenvolvimento; com o Legislativo (vereadores), fiscalização do que o Executivo faz e legislar para o bem da sociedade. Qualquer omissão ao combinado é “trabalhar para manutenção dos problemas” e não para atender a sociedade.
Desejamos encontrar a planilha 5W2H, ferramenta simples de gestão administrativa, definida, publicada e aplicada nas diversas áreas da gestão pública, o que infelizmente ainda não vemos ocorrer com a frequência desejada.  Por exemplo: Saúde: O quê fazer? Por que fazer? Onde fazer? Quem será o responsável? Quando fazer? Como fazer? Quanto custará? Quais serão os indicadores de desempenho? E assim sucessivamente para as demais áreas: Educação, Transporte, Saneamento, Infraestrutura, entre outras.
Uma vez definidas as metas priorizadas pela sociedade, ficaremos atentos ao acompanhamento da execução delas. Como está a implementação? Quanto já custou? E tudo isso com muita interação com os cidadãos. Queremos compromisso real com as datas prometidas. Isso faz parte do mínimo. Um empreendedor que não consegue resultados em dois anos, fecha as portas. 
Os gestores públicos eleitos têm quatro anos para apresentar resultados. Se não sabem o que irão encontrar ou como irão atender as demandas da sociedade, é melhor “não entrar do jogo”. Estamos cansados de pequenas melhorias, omissão de informações e notícias de “venda de facilidades”.Inovação na gestão pública, neste momento, é entregar o combinado de forma eficiente, transparente e ética pelos vereadores e prefeitos, utilizando ferramentas eletrônicas de comunicação. E cobraremos seus resultados da mesma forma que todo empreendedor é cobrado a gerar receita, distribuir renda, recolher impostos e, principalmente, encantar seus clientes.
 * Tiago Aguirre é presidente do Grupo de Estudos e Negócios dos Setores Empresariais (Gênese), empresário e professor de Empreendedorismo da Puccamp. E-mail: [email protected]
Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

PROFISSIONAIS FORMADOS PELA FACAMP OBTÊM SUCESSO NO MERCADO DE TRABALHO

Se o ingresso na universidade constitui um grande desafio na vida do jovem, a etapa …

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
LinkedIn