CAMPINAS E REGIÃO REGISTRAM CRESCIMENTO DE VAGAS DE EMPREGOS FORMAIS

A Associação Comercial e Industrial de Campinas (Acic), com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego, registrou 1.178 postos de trabalho no mês de fevereiro passado, cerca de 150,11% acima dos 471 postos gerados em fevereiro de 2017. No acumulado do ano, janeiro/fevereiro de 2018, foram criados 1.516 postos, cerca de 635,92% acima dos 206 postos gerados no acumulado dos dois primeiros meses de 2017. No acumulado dos últimos 12 meses até fevereiro de 2018, foram gerados 329 postos, cerca de 105,24% acima dos 12.564 postos eliminados até fevereiro de 2017.Coletiva ACIC Maio _ Laerte Martins

Na Região Metropolitana de Campinas (RMC) foram gerados, em fevereiro de 2018, 1.782 postos de trabalho, cerca de 31,06% abaixo dos 2.585 postos gerados em fevereiro de 2017. No acumulado do ano, janeiro/fevereiro de 2018, foram criados 4.254 postos de trabalho, cerca de 71,95% sobre os 2.474 postos gerados no mesmo período do ano passado. No acumulado dos últimos 12 meses, até fevereiro de 2018, foram gerados 840 postos, cerca de 103,13% acima dos (-26.825) postos eliminados em fevereiro de 2017.

Na RMC, em fevereiro de 2018, a Indústria, o Comércio e a Construção Civil, eliminaram juntos, 1.067 postos, como destaque negativo; enquanto que os Serviços, a Administração Pública e a Agropecuária, geraram juntos, 2.823, como destaque positivo. No acumulado do ano, houve dois destaques negativos, o Comércio e a Construção Civil, que juntos, eliminaram 2.278 postos, enquanto a Indústria, os Serviços, a Administração Pública e a Agropecuária, geraram juntos, cerca de 6.353 postos, demonstrando que no acumulado do ano, a geração de postos de trabalho foi 71,95% sobre a geração dos 2.474 postos de 2017.

Nos municípios da RMC Campinas, Americana e Indaiatuba foram os três que mais contrataram, 2.872; enquanto que: Paulínia, Jaguariúna e Morungaba foram os três que mais demitiram 1.161.

Em Campinas, em fevereiro de 2018, a Indústria, o Comércio e a Administração Pública, eliminaram juntos 251 postos; enquanto que os Serviços, a Construção Civil e a Agropecuária, geraram juntos, 1.422 postos.

No acumulado do ano, os destaques positivos foram os Serviços, a Indústria e a Construção Civil, que juntos geraram 2.476 postos; enquanto que o Comércio e a Administração Pública, eliminaram juntos, 999 postos, demonstrando que no acumulado do ano, o Emprego Formal evoluiu em 635,92%. Na avaliação do diretor de economia da Acic, Laerte Martins, foi um resultado promissor. “Analisando os dados do Caged para Campinas e Região, constata-se, mantida essa tendência, o Emprego deverá evoluir positivamente em relação a 2017 e teremos, portanto, uma derrubada da Taxa de Desemprego atual em dois dígitos, para um dígito, desde que, a economia não sofra nenhum tropeço até o final de 2018”, diz.

FotoDiretor de Economia da Acic, Laerte Martins.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

COMO A TRANSFORMAÇÃO DIGITAL AFETA O VAREJO AUTOMOTIVO

É sabido que a tecnologia avança diariamente em grande velocidade. Todos os dias surgem novos …

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
LinkedIn