CONSTRUTORA TENDA PRETENDE ANUNCIAR EM 2021 DOIS EMPREENDIMENTOS DE HABITAÇÃO POPULAR EM CAMPINAS

Com foco em habitação popular, a Tenda, uma das maiores construtoras e incorporadoras do Brasil, deve anunciar em 2021 dois novos empreendimentos em Campinas (SP), que contemplam as faixas 1,5 e 2 do Programa Casa Verde e Amarela (PCVA), que atende famílias com renda bruta entre R$ 2 mil e R$ 4 mil. Em fevereiro passado, a Tenda já havia instalado na cidade o seu primeiro escritório fora de uma capital, com projetos voltados para inovação e novos negócios para cidades do interior de São Paulo.

Com mais de 50 anos de atuação no País, a construtora enxerga um grande potencial de expansão na chamada Região Metropolitana de Campinas (RMC), conjunto de 20 cidades que concentram mais de 3 milhões de habitantes.

De acordo com a Diretora da Regional de São Paulo, Daniela Ferrari, a Tenda encontrou na RMC as características ideais para a aplicação do seu modelo de negócios, focado na produtividade e na abordagem industrial. “A entrada da companhia na região é um movimento estratégico e totalmente alinhado com as nossas diretrizes de negócios. Enxergamos muitas possibilidades em um mercado maduro e com demanda por produtos de maior qualidade e acessíveis para as famílias que adquirem seu primeiro imóvel”, enfatiza a executiva.

A Tenda chega a este novo mercado com diferenciais e tecnologias já implementados pelo país, e se consolida como a empresa que lidera a industrialização da construção civil no Brasil.

A empresa está investindo em um projeto inovador em seu escopo de negócios com foco no processo de industrialização em suas obras chamado off-site, que consiste na produção de paredes em concreto de casas em uma fábrica que depois são transportadas e montadas no canteiro de obras.

A Tenda já possui expertise no modelo de industrialização em suas obras, amplamente utilizado na Europa, no formato on-site, em que a construção é realizada em sua maioria no próprio canteiro de obras, e neste modelo atua com o produto de prédios, com a tecnologia de construção com fôrmas de alumínio em que as paredes são todas em concreto. Neste modelo necessita de uma alta escala local e daí a atuação obrigatoriamente em regiões metropolitanas em cidades maiores e com maior demanda que permita a produção contínua de unidades sem gerar estoques.

O investimento inicial já consolidado é da ordem de R$ 28 milhões, no entanto, a companhia prevê ainda em seu planejamento estratégico  um investimento de R$ 75 milhões a R$ 100 Milhões por ano pelos próximos quatro anos.

 

Foto: Diretora da Regional de São Paulo da Tenda, Daniela Ferrari.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

CCB E ABCERAM LANÇAM CURSO EAD DE INTRODUÇÃO À INSTALAÇÃO DE MATERIAIS REFRATÁRIOS

O curso de “Introdução à Instalação de Materiais Refratários”, promovido através da parceria entre o …

Facebook
Twitter
LinkedIn