EM FORMATO DE DARK KITCHEN, CACHORRO MAGRO ROTISSERIA APOSTA NO DELIVERY E RETIRADAS

O pós-pandemia está mudando os modelos de negócios de bares e restaurantes. Com as restrições ao atendimento e o crescimento do delivery e retirada, sistemas que devem permanecer nos próximos anos e ao mesmo tempo a necessidade em se criar estruturas mais racionais e enxutas, as Dark Kitchens, também conhecidas como restaurantes virtuais que oferecem apenas comida para viagem e retirada, ganham espaço e popularidade.

Nesse novo modelo, também chamado de Restaurante 2.0, que os empresários do setor de alimentação fora do lar Emerson Donadon, Renato Higa e Daniel Bettin acabam de abrir em Campinas a primeira unidade híbrida do Cachorro Magro Rotisseria, no bairro Guanabara. “O Cachorro Magro nasceu já com um novo formato, o de Rotisseria 2.0, com base em toda a experiência que os sócios acumularam no setor por décadas, utilizando as dores do consumidor e dos empresários para trazer a solução”, conta Emerson Donadon, um dos sócios e Chef da casa. “Estamos no formado da Dark Kitchen, loja onde não tem mesas, nem garçons. Abrimos uma primeira loja híbrida, permitindo além do delivery, também o take away.”

Mesmo em um momento ainda delicado para o setor de bares e restaurantes, os sócios investiram, para a abertura do Cachorro Magro, cerca de R$ 500 mil somente em equipamentos de alta tecnologia. São equipamentos importados e de última geração, com a proposta de oferecer um padrão de produtos diferenciados, com qualidade e segurança alimentar, além de um tasting diferenciado.

O Cachorro Magro tem como proposta oferecer comidas diferenciadas preparadas com produtos frescos e de alta qualidade para atender a demanda do público cada vez mais exigente e que está em casa, em busca pratos que remetam à memória afetiva. “Acreditamos que prato afetivo é e será sempre algo relevante. Afinal, não se come lagosta ou camarão todos os dias. Mas se come, strogonoff, filé à parmegiana, frango”, lembra Donadon. “A aposta foi feita observando-se o mercado local e regional de venda de comida pronta e de quais eram as dores em cada ponto”, completa.

Um dos diferenciais da casa é um cardápio com uma base forte em proteínas, como o frango assado, que se chama Marylou, que promete suculência num novo nível, ou a Costela de Colher, costela bovina feita sem pressa por um longo período e de tão macia acompanha até uma colher. Tem ainda a Costelinha suína, suculenta e grelhada no ponto certo e que leva um exclusivo molho barbecue feito na casa com suco natural de abacaxi e mel de engenho.

Para os amantes de massa, uma receita típica italiana é a Lasanha 99 camadas – verdadeira lasanha, como se come na Itália, com molho à bolonhesa, molho Bechamel e queijo.

De Portugal, veio o Bacalhau da Maria Ora Pois. São duas versões de bacalhau, sendo uma delas o Bacalhau com Natas, feito com lascas de bacalhau com cebolas caramelizadas, batatas em brunoise, com creme de leite e queijo gratinado.

Donadon explica que todos os pratos do cardápio são desenvolvidos e preparados em equipamento de ultima geração, cujo processo são exclusivos em Campinas, trazidos das cozinhas de alta gastronomia do mundo. “O processo é exclusivo e utiliza equipamentos importados da Alemanha e que permite cozinhar por longos períodos, mantendo qualidade, suculência e segurança alimentar”, completa.

Emerson Donadon, cursou química, economia e publicidade e acabou se encontrando nas panelas e sua primeira incursão no mercado foi lançar a marca de congelados premium chamada Voilà, após isso criou a AMAÔ Gastronomia, um buffet inovador no mercado brasileiro, trazendo em seu cerne a criação de cardápios exclusivos e tem orgulho em dizer que nunca repetiu um cardápio até hoje, pois acredita que cada festa é única.

 

Foto: Emerson Donadon, um dos sócios do Cachorro Magro Rotisseria.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

PREÇOS DE AÇO E GÁS PRESSIONAM AS INDÚSTRIAS

O aumento nos preços do gás natural e do aço vão impactar a maioria das …

Facebook
Twitter
LinkedIn