MERCADO AUTOMOTIVO ADOTA VENDAS ONLINE COMO ALTERNATIVA DURANTE ISOLAMENTO SOCIAL

O isolamento social vem mudando os hábitos de compras de toda a sociedade. A busca por carros durante a pandemia não parou e as lojas estão promovendo adaptações para atender à demanda dos clientes, que só tende a crescer durante o isolamento social e depois dele. 

Prova disso é o comportamento dos consumidores chineses. Em Wuhan, cidade que centralizou a maior quantidade de casos de coronavírus na China, as concessionárias relatam que o número de negociações já se igualou aos índices obtidos antes da crise, e o fluxo de clientes equivale a 66% do volume normal.

Essa procura é explicada pelo medo dos cidadãos de utilizar o transporte público e correr mais riscos de contaminação. No Brasil, a preocupação não é diferente. Muitos estão buscando utilizar meios de deslocamento individuais, e os varejistas têm de reinventar as formas de negociação para atender às demandas e ter lucros, mesmo que menores, durante a crise.

As grandes marcas estão investindo em soluções de vendas próprias. A Hyundai, por exemplo, anunciou o Hyundai Express, serviço totalmente digital para a compra dos modelos HB20 e Creta. Na plataforma, é possível montar o veículo, ser atendido por um vendedor, a partir de mensagens e videochamadas, marcar o test drive, que, neste caso, é feito na casa do cliente, assim como a entrega do carro comprado.

A Volkswagen, assim como muitas outras montadoras, também não ficou parada em meio a essa nova necessidade. A marca lançou meses atrás o projeto VW Move, que disponibiliza carros para locação. O aluguel dos carros deve suprir, tanto a demanda de novos motoristas de aplicativo que estão precisando de um trabalho alternativo para completar a renda durante a pandemia, quanto pessoas que não tem créditos suficientes para ter um carro próprio, mas precisaram se deslocar dessa maneira.

Os leilões de caminhões, carros e motos feitos online vêm sendo muito aderidos por esses que, nesse momento, precisam se locomover com mais segurança, ou manter os negócios funcionando, mas não dispõem de tanto dinheiro para investir na compra de um veículo novo. A Copart do Brasil, empresa de plataformas para organização de leilões de veículos e peças automotivas, observou que os consumidores aderiram ainda mais a essa forma de comércio depois que o coronavírus chegou ao Brasil.

A taxa média de venda dos leilões totalmente virtuais realizados pela empresa aumentou 28,5% desde o início da quarentena, que paralisou as vendas presenciais de diversos estabelecimentos. A média de vendas dos carros, que era de 70% antes da crise, superou a margem de 90%.

 

Foto: Mercado automotivo adota vendas online.

Crédito: Divulgação.

 

 

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

MAXXI TRAINING PROMOVE AULAS ONLINE AO VIVO PARA PROFISSIONAIS DO SETOR AUTOMOTIVO

O Maxxi Training, Distribuidor do Conhecimento, em atualização técnica, gestão e atendimento automotivo, promoverá, durante …

Facebook
Twitter
LinkedIn