PEIEX CAPACITA 260 EMPRESAS DA REGIÃO DE CAMPINAS PARA EXPORTAÇÕES

Reportagem de Milton Paes

[email protected]

A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil) e a Faculdade de Campinas (FACAMP) promoveram nesta quarta-feira (30/08) cerimônia de encerramento e apresentação de resultados do Programa de Qualificação para Exportação (PEIEX). O evento ocorreu na sede FACAMP em Campinas.

Com um investimento de R$ 2,24 milhões, o convênio entre a ApexBrasil e a FACAMP teve como objetivo contribuir para o fortalecimento da cultura exportadora na região e impulsionar o desenvolvimento econômico local. As empresas beneficiadas pelo Núcleo PEIEX em Campinas pertencem a diversos setores, como alimentos, bebidas, agronegócio, máquinas e equipamentos, higiene pessoal e cosméticos, materiais elétricos e eletrônicos, e têxteis.

Durante o último ciclo de qualificação do PEIEX, o núcleo em Campinas atendeu 260 empresas durante os 30 meses do programa entre os anos de 2020 e 2023 na Região Metropolitana de Campinas (RMC). Esta foi a primeira vez que a região recebeu um núcleo próprio, marcando um passo significativo para o estímulo à exportação local. 

O prefeito de Campinas,Dário Saadi, participou da cerimônia e em entrevista exclusiva ao jornalista Milton Paes do Panorama de Negócios, destacou que o PEIEX é um programa importante e fundamental na qualificação dessas 260 empresas para exportação. “Nós somos uma cidade de tecnologia, da indústria e de serviços e nós temos muita coisa que vender para o exterior, mas precisamos qualificar. Não é simples hoje para uma empresa que tem produtos ótimos e que teria chances no mercado exterior fazer a transação internacional, fazer o comércio exterior, então esse curso é fundamental. A empresa que quer alçar voos, vender para outros países tem que se qualificar. Tem que se preparar, pois é um processo complexo. Não é um processo simples e essa ação da Apex em parceria coma FACAMP abre caminhos para as empresas de Campinas”, declarou.

Dário Saadi disse ainda que Campinas tem uma indústria de precisão e que tem muita condição de acessar o mercado internacional. “O Brasil é caracterizado por exportação de commodities seja soja, café ou minério de ferro e a gente tem que mudar essa questão para exportar produtos de maior valor agregado. São importantes essas ações, pois nós temos aqui produtos para serem exportados. Agora precisamos ter qualificação das nossas empresas para ocupar esse mercado”, concluiu.

O diretor titular do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) regional Campinas, José Henrique Toledo Corrêa, enfatizou o trabalho exercido pela Apex durante todos esses anos de sua existência no sentido de tornar a “marca” Brasil conhecida no mundo. “Nós somos conhecidos por soja, milho, cachaça e outros produtos pitorescos brasileiros, mas a gente tem uma produção grande de produtos que tem competitividade. Falar em competitividade em um País que tem um Custo Brasil altíssimo que nós temos, com dificuldades burocráticas, tributárias e tantas outras dificuldades em portos e aeroportos nesses anos todos atrapalhando a atividade empresarial e a gente ainda consegue colocar esse produto lá fora, então mostra essa capacidade e a competência que temos nas lideranças das empresas”, disse.

Toledo Corrêa declarou ainda ao Panorama de Negócios que quando se tem um programa acontecendo há três anos  em uma sequência política de desenvolvimento faz com que empresas pequenas e médias tenham condições de se preparar para colocar  seus produtos no exterior. “Para nós empresários é muito mais fácil vender para o mercado interno, pois já está aqui na vizinhança. Eu vou entregar em Minas Gerais, Paraná e em São Paulo, mas se verifica que tem uma demanda  nos Estados Unidos, Europa, Ásia ou na África é um desafio. O potencial de mercado que esses produtos  têm faz com que o empresário se atente porque o Ciesp é emissor de certificado de origem, de certificado de venda livre, então nós também fazemos uma parte burocrática fundamental para as empresas exportarem. Quando vem conversar com a gente a respeito apresentamos as oportunidades como a Apex e outros planos”, revelou.

O diretor do Ciesp Campinas contou que a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) está organizando uma missão de empresários em novembro para a China afim de participarem de uma feira no país asiático que só compra produtos. “É uma oportunidade de vender para o maior mercado do mundo que é a China”, finalizou.

O diretor Acadêmico da FACAMP, Prof. Dr. Rodrigo Sabbatini, explicou que a instituição foi escolhida  como parceira da ApexBrasil no PEIEX após participar de um processo seletivo por meio de chamamento público em 2020. “O programa é muito capilarizado porque atinge várias regiões do Brasil justamente porque a Apex em vez de fazer tudo sozinha, ela usa o apoio de instituições de ensino e pesquisa da região daquela localidade para chegar mais fácil aos empresários através dessa parceria. Todo mundo quer ser esse parceiro e aí é necessário um processo seletivo que envolve uma série de critérios super rigorosos”, explicou.

Sabbatini disse que a FACAMP teve muito orgulho de ter sediado o projeto em nome da ApexBrasil. “O PEIEX é um Programa de Capacitação para Exportadores que visa atingir pequenas e médias empresas que sonham em exportar, mas não sabem como fazer. Esse é um programa de capacitação  que ensina o caminho das pedras para quem quer se aventurar pelo mundo da exportação, do mercado exterior e as principais ferramentas”, disse.

Rodrigo Sabbatini concluiu afirmando que grande parte do mérito desse programa foi de desmistificar os entraves burocráticos para exportação e é muito possível que as empresas consigam superar essas dificuldades. “Se você ensina o caminho das pedras, as pessoas aprendem. Se eles são capazes de produzir produtos competitivos conseguem superar a burocracia desde que tenha esse apoio inicial”, finalizou.

Os resultados obtidos ao longo deste período foram notavelmente satisfatórios. Uma das empresas beneficiadas pelo PEIEX foi a Bongusto, do ramo de misturas para bebidas lácteas e café. Após a qualificação, a empresa expandiu seus horizontes para mercados internacionais como Chile, Paraguai, Estados Unidos e Reino Unido. “Não tínhamos ideia de como deveríamos proceder, qual era o ponto de partida. O PEIEX nos proporcionou o conhecimento necessário,” afirma o diretor comercial da Bongusto, Antônio Guermandi.

 

Foto 1 – Apresentação dos resultados obtidos durante os 30 meses de atendimento do PEIEX na região de Campinas.

Foto 2 -Prefeito de Campinas, Dário Saadi.

Foto 3 – Diretor titular do Ciesp Campinas, José Hnerique Toledo Corrêa.

Foto 4 – Diretor Acadêmico da FACAMP, Prof. Dr. Rodrigo Sabbatini.

Crédito: Divulgação.

 

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

COMO O CIDADÃO PODE SE PROTEGER DAS FAKE NEWS NAS ELEIÇÕES

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já disponibiliza aos cidadãos o Sistema de Alerta de Desinformação …

Facebook
Twitter
LinkedIn