EVENTO EM CAMPINAS DISCUTE MOBILIDADE URBANA DE TRANSPORTES

A cidade
de Campinas (SP) reúne nesta segunda feira (15/04) especialistas do setor de
transportes, autoridades e representantes de entidades da sociedade civil
organizada estão participando hoje do Seminário Transporte sobre Trilhos –
Ciclo de Conversas sobre Mobilidade Urbana e Integração nas Metrópoles, no
salão Vermelho da Prefeitura de Campinas, a partir das 9h30. O evento é promovido
pela Frente Parlamentar do Bilhete Único Metropolitano, coordenada pelo
deputado Gerson Bittencourt (PT), pela Empresa Municipal de Desenvolvimento de
Campinas (EMDEC) e pelo Sindicato da Paulista.

O ciclo de conversas está recebendo especialistas,
parlamentares, técnicos, prefeitos e secretários reunidos em dois eixos temáticos: O
transporte coletivo como integrador das metrópoles e projetos estruturantes
para a retomada do transporte sobre trilhos. O deputado Gerson Bittencourt,
acredita que o principal eixo  estruturante
para a significativa melhora da mobilidade nas grandes cidades está na
substituição do transporte individual para o coletivo “Eu espero desse
seminário fazer um bom diagnóstico da situação do transporte coletivo na região
metropolitana dos projetos de retomada do sistema de trilhos, seja para cargas,
seja para passageiros porque temos tido demonstrações claras, não só na região
metropolitana de Campinas, de São Paulo, mas em todas as regiões metropolitanas
mais densamente povoadas que ou você faz um investimento no transporte coletivo
público como elemento estruturante de mobilidade e de integração ou você não
acaba tendo essa integração e compromete a circulação dentro do parâmetro
metropolitano”, avalia.

Segundo
ele, entre as melhorias na elevação da qualidade de vida da população
garantidas pelo transporte coletivo, estão reduções de emissões de monóxido de
carbono, acidentes, gastos e tempo de locomoção.

Para
Gerson Bittencourt todo o transporte de cargas que ultrapasse a distância entre
300 e 400 quilômetros não é um transporte que deveria ser feito por rodovias e
deveria sim obrigatoriamente ser feito por hidrovias ou ferrovias porque toda
viagem a partir de 400 quilômetros encarece o frete por conta de uma série de
fatores como desgaste dos pneus, do veículo, custo de pedágios e da legislação
específica dos motoristas de andar 4 horas, ter um tempo de parada de descanso
e depois seguir por mais 4 horas com no máximo de 8 horas de direção. “O que me
parece é que já tem hoje uma sensação, um pensamento dessa prioridade e isso é
muito bom e muito positivo”, diz.

O
parlamentar petista defende na assembleia legislativa a implantação de uma
linha de trem de passageiros ligando São Paulo a Jundiaí e lindo Jundiaí a São
Paulo como forma de minimizar o impacto a circulação de veículos e
consequentemente do trânsito melhorando a fluidez na capital paulista. Para
Gerson Bittencourt quanto mais alternativas de transportes públicos maior será
a integração das metrópoles.

O
evento vai debater a integração de modais e priorização do transporte coletivo
em detrimento ao individual. O resultado deste ciclo de conversas servirá de
subsidio para alicerçar os estudos e projetos que estão sendo elaborados no
Estado de São Paulo.

A
indagação por que integrar os diversos tipos de transportes, é respondida pela
maior e melhor eficiência do conjunto, bem maior do que se alcança com cada
tipo de transporte operando de forma isolada. “No sistema de transportes sempre
há um modal que tem maior capacidade que os outros, assim, os demais deverão se
integrar”, ressalta o deputado.

Pesquisas
realizadas pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) indicam que em
apenas dez capitais brasileiras se perdem cerca de 240 milhões de horas
anualmente em congestionamentos. As emissões de monóxido de carbono pelos
transportes urbanos foram estimadas em mais de 123 mil toneladas por ano. Ao
mesmo tempo, a população de baixa renda está sendo privada do acesso ao
transporte público devido à baixa capacidade de pagamento e à precariedade da
oferta para as áreas periféricas.

Tal
privação acarreta problemas nos deslocamentos para o trabalho, dificuldades de
acesso aos equipamentos e serviços básicos e às oportunidades de emprego. Ou
seja, as condições de transporte nas grandes cidades estão se tornando também
uma barreira à inclusão social. O desafio do crescimento sustentável passa,
portanto, por políticas de transporte e mobilidade integradas ao
desenvolvimento urbano. “O ciclo de conversas será uma importante colaboração
para a Política Nacional para a Mobilidade Urbana Sustentável apresentada pelo
Ministério das Cidades”, ressalta Gerson Bittencourt.

O evento
conta com as presenças dos prefeitos de Campinas, Jonas Donizette (PSB), de
Jundiaí, Pedro Bigardi (PCdoB) , de Vinhedo e presidente do Conselho de
Desenvolvimento da Região Metropolitana de Campinas (RMC) Milton Serafim (PTB),
dos deputados Gerson Bittencourt (PT), Coordenador da Frente Parlamentar; e Antonio
Mentor (PT), Presidente da Comissão de Transporte e Comunicação da Alesp, Saulo
Pereira Vieira – Coordenador de Planejamento e Gestão da Secretaria Estadual
dos Transportes Metropolitanos, Luciana Carneiro Muçouçah – Gerente da Empresa
de Planejamento e Logística (EPL), Francisco Aparecido Felício -Presidente do
Sindicato dos Ferroviários, Adriana Flosi – Presidente da Associação Comercial
e Industrial de Campinas (ACIC), Vereador Campos Filho (DEM) – Presidente da
Câmara de

Vereadores
de Campinas, Vereador Adriano Lucas Alves (PSDB) – Presidente do Parlamento da
RMC, Ailton Brasiliense- Presidente Agencia Nacional de Transporte Público
(ANTP) e Valter Rocha de Oliveira – Presidente do Conselho Municipal de
Trânsito e Transporte de Campinas, entre outros.

No
período entre 10h e 13h ocorrem dois painéis com debates. O primeiro com o tema
“O transporte coletivo como integrador das metrópoles”, que vai contar com as
participações do presidente da Agência Nacional de Transportes Públicos, Ailton
Brasiliense; do secretário adjunto de Transportes de São Paulo, José Evaldo
Gonçalo, do secretário de Transportes de Campinas e presidente da Emdec, Sérgio
Benassi e do  secretário de Transportes
de Jundiaí, Dinei Pasqualini.

O segundo
tema “Projetos estruturantes para a retomada do transporte sobre trilhos”, vai
contar com as participações da gerente da empresa de Planejamento e Logística
(EPL),

Luciana
Carneiro Muçouçah; do coordenador de Planejamento e Gestão da Secretaria
Estadual dos Transportes Metropolitanos, Saulo Pereira Vieira,do Presidente da
América Latina Logística, Pedro Roberto Almeida e do coordenador da Frente
Parlamentar em Defesa da Malha Ferroviária, Deputado Mauro Bragato (PSDB).

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

BENNER EXPANDE SUAS SOLUÇÕES PARA O MERCADO JURÍDICO COM SERVIÇOS INTEGRADOS

Com o objetivo de contribuir para a eficiência jurídica das organizações, a Benner, companhia brasileira …

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
LinkedIn