SÓCIA NA GRANT THORNTON BRASIL DESTACA PARTICIPAÇÃO DE MULHERES EM CONSELHOS E EM CARGOS DE LIDERANÇA NAS EMPRESAS

Levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC) aponta que há 15,2% de mulheres dentre os 6.160 profissionais que compuseram a amostra nos conselhos de administração, fiscais e nas diretorias das companhias de capital aberto. Trata-se da terceira edição da pesquisa Análise da participação das mulheres em conselhos e diretorias das empresas de capital aberto. Ao se comparar os números com as edições anteriores, é possível notar um contínuo crescimento: em 2021, eram 12,8% de mulheres, passando para 14,3% em 2022 e atingindo 15,2% na edição atual.

Com o tema “Mulheres em Conselhos – Transformando o Futuro”, o Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (IBEF) Campinas interior paulista, o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC) e Grant Thornton promoveram um evento em Campinas, no qual participaram 50 mulheres empresárias.

A Grant Thornton é uma das maiores empresas globais de auditoria, consultoria e tributos. A sócia na Grant Thornton Brasil e líder no escritório de Campinas, líder em energia elétrica e recursos naturais no Brasil e porta voz da pesquisa  Women in business no Brasil na Grant Thornton, Élica Martins, disse em entrevista ao Panorama de Negócios que o evento teve por objetivo incentivar as mulheres da região que tenham interesse em atuar em conselhos. “As participantes fizeram um breve relato sobre suas trajetórias profissionais e as competências necessárias para atuação em conselhos”, contou.

Além da participação e apresentação da Élica Martins, como Board member da Feac e FBGA, também estiveram presentes Claudia Elisa, Board member da Camil, Grupo Cassol, IBGC, BP São Paulo; Andréia Marques, Board member do Grupo Volkswagen e Monica Graziani, Board member do CPQD e Grupo Primavera.

Participação em conselhos

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) aprovou medidas propostas pela B3 para estimular a diversidade de gênero e a presença de grupos sub-representados em cargos de alta liderança e o reporte de boas práticas ambientais, sociais e de governança pelas companhias listadas.

Pela regra proposta, as companhias listadas na B3 devem eleger ao menos uma mulher e um integrante de comunidade sub-representada (pessoas pretas, pardas ou indígenas, integrantes da comunidade LGBTQIA+ ou pessoas com deficiência) para seu conselho de administração ou diretoria estatutária em até dois anos a partir da vigência da regra. “A gente sabe que não é o suficiente porque normalmente se tem  em conselhos de grandes empresas 10 pessoas e duas pessoas não é o suficiente para uma votação, então isso foi discutido bastante também no evento de Campinas dentro desse movimento pela igualdade”, avalia Élica.

As companhias listadas na bolsa na data de início das novas regras terão até 2025 para comprovar a eleição do primeiro membro – ou justificar a não adoção da prática – e 2026 para o segundo membro.

Pesquisa Women in Business

Élica Martins destacou também uma participação maior das mulheres não somente em conselhos, mas em cargos de liderança como diretoras nas mais diversas áreas. Como constatou um levantamento realizado pela Grant Thornton por meio da pesquisa Women in Business – International Business Report (IBR), com foco na diversidade de gênero e o progresso na proporção de mulheres ocupando cargos de liderança em empresas do mid-market de todo o mundo, expondo barreiras e identificando facilitadores de mudança.

Embora seja identificado avanço no número total de mulheres na liderança, a pesquisa deste ano mostra que esse movimento é relativamente lento. Em nível global, 32,4% dos cargos de alta gerência nas empresas do mid-market são ocupados por mulheres, um aumento de apenas 0,5 ponto percentual (pp) em relação à 2022 e apenas 13pp desde que a pesquisa foi realizada pela primeira vez em 2004  pela Grant Thornton. Nesse ritmo, apenas 34% dos cargos de liderança serão ocupados por mulheres em 2025.

 

Foto 1 – Élica Martins sócia na Grant Thornton Brasil e líder no escritório de Campinas, líder em energia elétrica e recursos naturais no Brasil.

Foto 2 – Participação de mulheres empresárias no evento “Mulheres em Conselhos – Transformando o Futuro”.

Crédito: Divulgação.

 

 

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

STOLLER É OURO E BRONZE NA 21ª MOSTRA DE COMUNICAÇÃO DO AGRO ABMRA

Com a inspiradora websérie “Cafés Especiais do Cerrado Mineiro”, a Stoller do Brasil, uma empresa …

Facebook
Twitter
LinkedIn