46° CONGRESSO DE ANÁLISES CLÍNICAS ABORDA A IMPORTÂNCIA DO ATENDIMENTO HUMANIZADO EM LABORATÓRIOS

Um dos desafios mais evidentes da gestão da saúde no Brasil é a melhoria da qualidade da prestação dos serviços. A ciência trouxe a evolução de técnicas importantes e ganhos na gestão, porém, ainda não fez o mesmo para a humanização do atendimento, estratégia assistencial que melhora a experiência do paciente, promove a sua satisfação e resgata a figura do profissional de saúde consciente das nuances que interferem na efetividade do tratamento, além de fortalecer a qualidade dos serviços prestados pelo laboratório.

Atenta a esta necessidade de evolução no atendimento ao paciente, a Sociedade Brasileira de Análises Clínicas (Sbac), realiza até a próxima quarta feira (19/06), no Expominas, o 46° Congresso Brasileiro de Análises Clínicas (CBAC). O evento tem no “Profissional do Futuro” seu principal foco. O congresso vai debater sobre áreas do conhecimento das Ciências do Laboratório Clínico, como Gestão do Laboratório, Qualidade Analítica e Organizacional e POCT – Point of Care Testing. Serão abordadas também especialidades técnicas como a Biologia Molecular, Bioquímica, Coagulação, Genética, Hematologia, Imunologia, Microbiologia, Micologia, Parasitologia, Toxicologia e Uroanálise.

A programação conta com a apresentação dos mais recentes avanços do conhecimento nas Ciências do Laboratório Clínico e palestras de renomados profissionais das áreas. O 46° Congresso Brasileiro de Análises Clínicas é destinado a todos os profissionais que atuam em Laboratórios de Análises Clínicas, como farmacêuticos, médicos biomédicos, RH, administradores, departamento de comunicação e marketing, entre outros. A expectativa é que o evento receba aproximadamente três mil pessoas.

Profissional do futuro

O futuro não tem somente uma componente e dentre elas estão as práticas que evidenciam a presença da segurança do paciente e da humanização do seu atendimento. Fornecer um laudo de exame correto e de qualidade ao paciente vai muito além de dominar simplesmente a técnica e fazer um bom controle, ambos são um dever profissional e gerencial. Segundo o presidente do 46º CBAC, Dr. Humberto Tibúrcio, um laboratório tem a oportunidade de agregar um componente fundamental ao seu trabalho: o tratamento seguro e humanizado ao paciente. “No Brasil, muitos pacientes consideram a ida ao laboratório um “mal necessário”. O laboratório clínico precisa dedicar especial atenção a aspectos de humanização no atendimento aos seus clientes, com esmero e efetividade, estará de fato criando valor no seu trabalho, aumentando a fidelização”, pontua.

Atualmente, a humanização e o investimento no bem-estar do paciente são objeto de intenso debate no mercado de saúde. “A discussão do tema é necessária, pois os avanços tecnológicos do setor podem caminhar em descompasso com o aprimoramento na qualidade do relacionamento humano. O tema “Profissional do Futuro” foi idealizado justamente para reforçar a importância dessa mudança de atitude. As pessoas querem ser acolhidas e bem atendidas, independente da marca, do tamanho ou da localização geográfica do laboratório”, observa.

Quando alguém procura pelos serviços de saúde, incluindo os laboratórios, está procurando identificar um problema que o aflige ou então prevenir-se de males futuros. São situações muitas vezes delicadas e sensíveis. “O sorriso, a cordialidade, o olhar nos olhos, enfim, o atendimento humanizado durante todo o processo que envolve o exame serão fundamentais para garantir a satisfação e uma experiência positiva do cliente”, enfatiza.

O cuidado com o paciente tem que iniciar na administração do laboratório, ser difundida entre funcionários, para a partir daí chegar ao cliente final. “A equipe do laboratório tem que ser tratada como gostaríamos que o cliente fosse tratado. Para elevar o padrão da qualidade dos serviços laboratoriais, é de extrema importância estabelecer esta relação de confiança também internamente”.

Um atendimento humanizado é aquele que considera a integralidade da “unidade de cuidado”, ou seja, pressupõe a união entre a qualidade do ambiente técnico e a qualidade do relacionamento que se desenvolve entre paciente, familiares e equipe. “Em um atendimento humanizado, todos saem ganhando independente do resultado final, porque nele o amor ao humano prevalece em sua mais nobre essência”, finaliza Dr. Humberto.

 

Foto:  Presidente do 46º CBAC, Dr. Humberto Tibúrcio.

Crédito: Divulgação.

 

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

SUMMIT SEBRAE ESTIMULOU NEGÓCIOS ENTRE 1,5 MIL EMPREENDEDORES DE TODO O PARANÁ

Negócios, reuniões, encontros de oportunidades e conexões. Essas foram as principais atrações para 1.500 empreendedores …

Facebook
Twitter
LinkedIn