INDÚSTRIAS DA REGIÃO DE CAMPINAS REAGEM A CRISE E REGISTRAM ALTA DE EMPREGOS, DAS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES

O Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) regional Campinas divulgou ontem a pesquisa de sondagem industrial elaborada pelo centro de pesquisas econômicas da Facamp (Faculdades de Campinas) referente ao mês de julho deste ano. Segundo o levantamento o mês de julho foi positivo na contratação de empregos e num aumento das importações e das exportações. Na avaliação do diretor titular do Ciesp Campinas, José Nunes Filho, os índices demonstram uma leve retomada econômica na região. “Em alguns set7364_Coletiva_Ciesp-Campinas_crédito_Roncon&Graça Comunicaçõesores essa retomada já está acontecendo, principalmente, setores ligados ao agronegócio e a cadeia produtiva de alimentos. Os setores de bens duráveis já demoram mais porque dependem muito do crédito e o crédito está muito escasso e muito caro, então o que nós estamos assistindo agora é uma estabilização do nível de emprego. Nós tivemos um ganho de 200 postos de emprego no mês de julho e  no acumulado do ano nós também temos um saldo positivo de 200 postos de trabalho, o que significa que hoje estamos em equilíbrio, mas a contratação forte ainda não aconteceu e isso é muito importante para que a roda do consumo também volte a girar”, diz.

A região englobando os municípios atendidos pelo Ciesp Campinas registrou um saldo comercial deficitário de US$ 652 milhões em julho de 2017, ou seja, um crescimento de 23,7% em relação a julho de 2016, quando o déficit foi de US$ 527 milhões. As exportações tiveram uma expansão de 6,2% passando de US$ 239,6 milhões em julho de 2016 para US$ 254,4 milhões  em julho deste ano. As importações também registraram avanço de 18,2% passando de US$ 766,6 milhões em julho de 2016 para US$ 906,4 milhões em julho de 2017. Com isso a corrente de comércio, na comparação  do mês de julho entre 2016 e 2017, apresentou um aumento de 15,4%.7319_Coletiva_Ciesp-Campinas_crédito_Roncon&Graça Comunicações

Para a diretora adjunta de comércio exterior do Ciesp Campinas, Carmem Pavin, o aumento das importações e das exportações soa positivas indicando uma certa retomada do processo produtivo na região. “Nós crescemos na exportação isso significa que estamos exportando mais e o pessoal está conseguindo abrir mais negócios, então as empresas estão investindo e com isso a gente espera que também está aumentando o nível de empregos também. A importação aumentando também é importante para nós porque as empresas estão produzindo. Em uma reunião em Viracopos, o pessoal disse que realmente em julho eles bateram recordes nas importações e já voltaram aqueles patamares que tinham há 2 anos atrás e com isso estão bem otimistas”, diz.

Para Carmem Pavin o Governo Federal está fazendo algumas mudanças na legislação para facilitar mais as exportações e as importações. “Essas mudanças são fundamentais. Uma delas foi o ex tarifário. A gente pagava 2% e agora paga zero. Isso é um investimento que o empresariado vai fazer no país porque vai poder importar máquinas e equipamentos e bens duráveis com uma alíquota e 0%”, explica.

O ex tarifário é um benefício concedido as empresas na importação de máquinas e equipamentos para seu parque fabril. O imposto em média, sem o benefício, custa 14%. No ex tarifário, a empresa precisa provar ao governo que aquele equipamento não possui similar na indústria nacional e o governo reduzia a alíquota para 2%, mas atualmente este percentual é zero proporcionando automaticamente uma redução em toda a cadeia de impostos como IPI, PIS/Cofins e ICMS.

Foto 1 – Entrevista do diretor do Ciesp Campinas ao jornalista Milton Paes.

Foto 2 – Diretora adjunta de Comércio Exterior do Ciesp Campina, Carmem Pavin.

Crédito: Roncon & Graça Comunicações.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

HÁ 32 ANOS, ROGÉRIO MENEZES É REFERÊNCIA NO SEGMENTO DE LEILÕES NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Rogério Menezes Nunes, nomeado Leiloeiro Oficial pela Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro  …

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
LinkedIn