NA BRASILPREV, MÃES SÃO AS RESPONSÁVEIS FINANCEIRAS POR 38% DE TODOS OS PLANOS PARA MENORES

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 48% dos lares do país são chefiados por mulheres. Muitas dessas mães são responsáveis pelas finanças de suas famílias e, grande parte delas, têm ações voltadas à preocupação com o futuro financeiro dos filhos. Isto pode ajudar a explicar os dados de um estudo feito pela Brasilprev, que apontou que elas têm um papel de destaque na contratação dos planos de previdência para as crianças da empresa: os planos Brasilprev Júnior e Brasilprev Júnior Educação.

Especialista e líder desse setor, a Brasilprev fez a análise a partir da sua base de clientes em todo o país, que ultrapassa a marca de 2,5 milhões. O levantamento aponta o protagonismo das mães na contratação e manutenção desses planos, que são destinados especialmente às pessoas com idades entre 0 e 21 anos. “Dos 738 mil planos ativos nos produtos Brasilprev Júnior em nossa base, as mães são responsáveis financeiras por 284,8 mil, ou seja, 38%. Enquanto isso, os pais são os representantes legais em 250,9 mil planos”, comenta o superintendente de produtos da companhia, Sandro Bonfim.  “Isso mostra uma predisposição maior das mães iniciarem o planejamento de futuro dos seus filhos, o que é um passo importante no processo de educação financeira”, completa.

O estudo possibilitou, ainda, analisar o perfil dessas mães. A idade média delas é de 41 anos. Porém, por faixa etária, 23% possuem entre 41 e 50 anos de idade, seguida pelas que têm entre 31 e 40 anos (16%) e por 14% na faixa entre 51 e 60 anos; 10% têm entre 61 e 70 anos e apenas 7% possuem mais de 70 anos de idade. Já com relação à faixa etária dos beneficiados, a maioria (36%) tem entre 7 e 14 anos, 27% entre 15 e 21 anos e 18% até 6 anos. Ao avaliar a presença das mães responsáveis pelos planos Júnior regionalmente: 43% concentram-se na Região Sudeste, seguida da Nordeste, com 23%, Sul (17%) e Centro-Oeste (11%) e Norte (7%).

A Brasilprev foi a companhia que inaugurou na indústria de previdência brasileira o segmento menor, ao lançar o produto Brasilprev Júnior, em 1997. Desde então, a companhia vem percebendo, por meio de pesquisas qualitativas com seus clientes, que o principal objetivo deles ao contratá-lo é acumular recursos financeiros para projetos de educação dos pequenos – como faculdade, pós-graduação e intercâmbio, para citar três exemplos.

Dessa forma, em outubro de 2022, a companhia lançou o Brasilprev Júnior Educação, que ao contrário de outros planos de previdência, inclui automaticamente a contratação de uma cobertura de pensão. Esta é paga mensalmente caso ele venha a falecer, o que garante uma renda mensal temporária ao beneficiário até que complete 21 anos de idade ou 24, se for universitário.

Em ambos os produtos as contribuições periódica e esporádica têm valor mínimo de R$ 100 e a contribuição única ou inicial de R$ 10 mil. A Brasilprev não cobra taxa de carregamento e a TAF depende da composição desses valores. Já os benefícios fiscais são os mesmos dos demais planos oferecidos pela companhia: dedução de até 12% da renda bruta anual; no caso do VGBL, tributação sobre o valor do resgate na modalidade VGBL; se for PGBL, apenas sobre o valor dos rendimentos.

Com 29 anos de atuação, a Brasilprev Seguros e Previdência S.A tem como acionistas a BB Seguros, braço de seguros, capitalização e previdência privada do Banco do Brasil, e a Principal Financial Group, uma das principais instituições financeiras dos Estados Unidos. Líder do setor, a companhia conta com mais de R$ 349,3 bilhões em ativos sob gestão e uma carteira de 2,5 milhões de clientes. Especialista no negócio de previdência privada, com produtos acessíveis e serviços diferenciados, a Brasilprev conta com a rede de agências do Banco do Brasil como seu principal canal de distribuição.

 

Foto: Superintendente de produtos da Brasilprev, Sandro Bonfim.

Crédito: Fabio Passos.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

COMO O CIDADÃO PODE SE PROTEGER DAS FAKE NEWS NAS ELEIÇÕES

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já disponibiliza aos cidadãos o Sistema de Alerta de Desinformação …

Facebook
Twitter
LinkedIn