QUALIDADE DA INFORMAÇÃO E O SUPORTE PARA UMA BOA DECISÃO

ARTIGO DO CEO DO GRUPO BAHIA ASSOCIADOS, JORGE BAHIA

Os acontecimentos recentes quanto a qualidade e credibilidade dos números divulgados  pelas empresas, isso principalmente com relação ao setor de varejo, trouxeram à tona questão para a qual não deveria ocorrer dúvidas, que é a consistência das  demonstrações financeiras divulgadas pelas companhias. Falou-se muito, ultimamente, sobre o registro de determinada operação como empréstimo junto a banco, com o reconhecimento dessa obrigação junto a instituição, e mais o reconhecimento dos competentes encargos financeiros a ela relacionados, ou, o registro da mesma como uma obrigação de fornecedor a pagar. Essas ocorrências todas, evidenciaram a necessidade de se ter uma contabilidade competente, sendo essa qualificação não somente direcionada aos profissionais que a produzem, mas também a matéria prima que processam para a geração dos números e dados a divulgar. Esse operacional nos leva a origem dos dados, sua qualidade em termos de composição material e evidencias do ocorrido, isso tudo com suporte documental indiscutível para o fato que se busca lastrear.

A legislação fiscal, por sua natureza e competência, já alerta a necessidade de atrelar o gasto como sendo relacionado a atividade fim da empresa, do mesmo ter suporte em documento fiscal com características específicas indicadas na legislação, do registro da operação quando se assume o compromisso ou o direito sobre ela. Essa assertividade precisa ser expressada  nos desdobramentos dos registros contábeis que trazem aos números da empresa a veracidade que eles precisam demonstrar.

Também somos levados a concluir que o suporte para o sucesso dessa empreitada ocorre com o uso de um sistema de gestão, ou um ERP, devidamente parametrizado, parametrização essa que reflita, com clareza, as operações da empresa e seus desdobramentos econômicos e financeiros. Para a boa funcionalidade desse aparato, processos e procedimentos necessitam ser incorporados ao dia a adia da companhia, ou seja, o que, para que, e como fazer, considerando a melhor forma de execução.

Outra conclusão que surge dessa análise está relacionada ao fato de que para esse fluxo ter qualidade contínua, a capacitação dos envolvidos em suas etapas deve ser observada como característica rotineira. A dinâmica dos negócios, a evolução tecnológica, a variedade de operações negociais e financeiras, precisam e merecem atualização. As oportunidades surgem a cada momento, sendo que a avaliação delas pela empresa, considerando suas premissas operacionais e de controle “versus” as condicionais para se usufruir de forma produtiva dessas oportunidades, estão na dependência de  uma contabilidade consistente, base em processos e procedimentos bem definidos, e de forma crucial,  gerada e utilizada por  profissionais que saibam analisar e projetar resultados base em premissas a serem colocadas à mesa.

Detalhe importante a considerar nessa estrutura operacional, tem vínculo com as obrigações fiscais e tributárias resultados de processamentos que atenderam disposições de  procedimentos, processos, e de interferências de profissionais. Assim, ter certeza que a parametrização realizada atende todas as determinações para a geração de obrigações acessórias de natureza fiscal e tributária, como também suportam o recolhimento de impostos incidentes sobre as operações, deve ser ponto de vital validação pela empresa. E o mercado, a divulgação de informações econômico financeiras a bancos, a clientes, fornecedores, essa é outra vertente que  deve ter atenção redobrada. O que estou divulgando atende as premissas da minha operação e acima de tudo da legislação. Estou sendo transparente com o meu investidor realizando a apresentação desses números?

Essas ocorrências relacionadas as incertezas nas  divulgações de algumas demonstrações financeiras, reforçam a importância da qualidade nos números contábeis, na validação da origem dos dados, no documento que os lastreiam, na definição e cumprimento de processos e procedimentos, no atendimento das normas legais, na importância dos profissionais que com competência manuseiam, preparam e divulgam esses dados.

 

Jorge Bahia é bacharel em administração de empresas, contador, consultor palestrante, professor em cursos profissionalizantes, sócio proprietário do Grupo Bahia Associados, com experiência profissional de mais de 20 anos em empresas multinacionais atuando na área fiscal, tributária, contábil e controladoria.

 

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

PRORROGAÇÃO DA DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO – QUEM VAI SE BENEFICIAR?

ARTIGO DO PROFESSOR MURILLO TORELLI  No cenário econômico brasileiro, a decisão do presidente Luiz Inácio …

Facebook
Twitter
LinkedIn